segunda-feira, 6 de maio de 2019

Opinião | "Às cegas" de Josh Malerman (Bird Box #1)

Às Cegas
Classificação: 3 Estrelas

As primeiras páginas deste livro foram bastante interessantes para mim. Este meu interesse foi desencadeado pelas teorias que comecei a formular na minha cabeça. Foram páginas que me remeteram para as minhas aulas de Psicologia Social onde abordamos as dinâmicas de grupo e a pressão que os elementos dentro de um grupo podem exercer sobre outros.

Li o livro sempre com esta teoria em mente. Infelizmente o livro seguiu outra direção e as minhas teorias psicológicas sobre o assunto permaneceram apenas na minha cabeça. Tenho de admitir que fiquei um pouco desiludida porque, para mim, teria sido mais interessante se a história tivesse evoluído com base na minha teoria.

Quando Daniela viu que eu tinha terminado a leitura pediu-me Vá descarrega lá todas as tuas queixas, frustrações e todos os defeitos que tens para apontar (só ela conhece muito bem as minhas paranóias com livros deste género). Porém, acho que a desiludiu! A verdade é que não tenho nada de negativo ou que me tivesse irritado para partilhar com ela.
Do meu ponto de vista, a narrativa está bem construída, há situações que nos deixam em suspense, há situações que provocam algum medo e as personagens aparecem bem enquadradas em todos os momentos da história. Apesar destes aspetos positivos, a história não funcionou comigo. Neste livro em particular, as coisas fizeram-me sentido contudo, não me senti entusiasmada com a história. É um daqueles casos em que a opinião que formo do livro é fundamentada no meu gosto pessoal e naquilo que me entusiasma enquanto leitora.

Não me senti particularmente tocada por nenhuma das personagens. Gostei da Malorie e admirei a sua capacidade de sobrevivência e senti que Tom era um excelente líder. Porém não me marcaram, nem se tornaram memoráveis para mim. No fundo, o que me ficou desta história e que acho que irei recordar serão as circunstâncias de vida que as personagens passaram a ter de enfrentar.

Eu senti falta de alguma adrenalina enquanto li o livro. Quando um livro chega uma determinada etapa, parece que a narrativa fica congelada. A história passou a ser alimentada por incompatibilidades geradas pela convivência forçada e entrou numa espécie de rotina que não me oferecia novas sensações ou revelações. Fiquei aborrecida, senti que a história não nos podia oferecer muito mais dadas as circunstâncias, mas ao mesmo tempo seria uma oferta limitada tendo em conta o caminho escolhido para o desenvolvimento da narrativa.

Quando chego ao final, as coisas começam  a animar um bocadinho. Foi dinâmico, intenso e com sentido tendo em conta as circunstâncias. A única coisa  que me deixou triste foi constatar que a minha teoria saiu completamente ao lado. Sim, ainda alimentei a minha teoria até às últimas páginas. Afinal de contas a esperança é a última a morrer.

Penso que para quem adora livros que se encontram neste género literário vão adorar ler e conhecer esta história. Para aqueles que, como eu, são os mais céticos e racionalistas vale a pensa descobrir este livro e sair da nossa zona de conforto. É uma forma de nos fazer pensar noutras alternativas e quebrar um pouco a nossa linha racional.

2 comentários:

  1. E foste logo colocar o que eu te tinha dito. :P
    É verdade, fiquei um bocadinho surpreendida e também contente por não desatares a falar mal do livro. Mesmo não tendo sido uma experiência excelente, foi uma boa forma de sair da zona de conforto. Talvez te deixe com apetite de ler outras histórias de terror, mas de preferência sem fantasia à mistura (essas, para mim, também são as melhores).

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que ninguém conhece melhor os meus gostos literários do que tu :P. Por isso fez-me sentido colocar.
      Sim, foi uma boa forma de sair da zona de conforto e ler algo que geralmente não leio. Temos de olhar para este nosso projeto como uma forma de nos desafiar-mos. Obrigada por este envio.
      Sim, gostava de experimentar outras histórias de terror :).
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!