segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]


Para este livro, a Denise elaborou um desafio repartido em diferentes partes. Eu vou dar aqui um cunho pessoa e vou adaptar a um diário de leitura.

Assim ao longo do livro, a minha "parceira" no crime das leituras foi colando post-its indicativos de como responder ao desafio.

Atenção!! A resposta a este desafio contém spoilers.

1º Post-it - 22 de Agosto de 2017
Este vinha na capa e dizia o seguinte:

A Denise sabe como eu me "auto spoiler" de uma forma maluca. Tenho tentado controlar-me e não ir ler páginas mais à frente, mas às vezes é mais forte do que eu.
Mas se a minha parceira pede, é para cumprir...
Vamos procurar mais post-its?

2º Post-it - 22 de Agosto de 2017

Este post-it estava logo no início e apraz-me escrever que este desafio promete... Teorias da conspiração e novelas mexicanas são coisas que abundam na minha cabeça.
Vamos lá "mergulhar" neste livro.

3º Post-it - 25 de Agosto de 2017

Não está a ser uma leitura muito clara. Até aqui, tudo está demasiado confuso e não dá para pensar de forma muito clara em relação a tudo o que poderá ter acontecido.
A Greta deve ter algum tipo de problema. Acho-a infantil e pouco ativa. Penso que o pai lhe possa ter feito alguma coisa enquanto criança. Agora não sei se ele simplesmente desapareceu ou se suicidou. 
Relativamento ao desaparecimento de Alex e de Smilla há ali qualquer coisa que não me está a tornar as coisas credíveis aos meus olhos. Tenho alturas em que penso que estou num sonho da Greta e que, afinal, ela é uma criança ou adolescente que, no seu sonho é adulta. 
Há coisas que eu quero mesmo clarificar: 1) Qual a verdadeira índole de Alex? e 2) Qual a relação exata de Alex com a filha.
Parece-me que Greta não conheceu verdadeiramente Alex. O que é que falhará nesta relação.
A forma como, no primeiro capítulo, Greta descreve a relação de Alex com a filha deixou-me um pouco reticente. Se por lado sei que as meninas criam uma relação especial com os pais, há ali qualquer coisa estranha. E depois, como é que Greta, numas férias em família se deixa ficar para trás num passeio?? Não me faz muito sentido. Assim como o episódio dos adolescente que aparecem por ali e têm uns atritos com a Greta me aprece algo forçado. 
Vamos ver o que encontro até ao próximo post-it.

4º Post-it - 28 de Agosto de 2017

Não, ainda não desvendei mistério nenhum. Continuo muito confusa e cheia de interrogações.
Não está a ser uma leitura fácil. É-me difícil encontrar o suspense e a adrenalina que a Denise apontou para este livro. Talvez eu esteja a racionalizar demasiado as coisas. Apesar de todo o nevoeiro que este livro adensa nas minhas ideias, é um livro que me está a fazer pensar. E em que é que eu penso?
  • Na desorganização mental de Greta! Uma personagem que é como as cebolas: cheias de camadas. Mas são camadas tão esquisitas que não as consigo "descascar" de forma a conhecê-la como devia. Numa das abas do livro aparece um frase a elogiar a forma como esta personagem está muito bem construída... Ainda estou a tentar perceber em que se basearam para afirmar isto. 
  • Alex revelou-se um valente tarado. Deve ter andado a ler As 50 sombras de Grey, mas esqueceu-se que até o Grey tem alguns princípios e respeito pelas mulheres. Ainda me pergunto o que lhe passou pela cabeça para levar a filha ao encontro com a amante. 
  • E depois vem este encontro com a amante que me deixa a revirar os olhos. Como é que se transparece proximidade entre a amante e a miúda logo no primeiro encontro? Como é que esta miúda não estranha a presença de outra mulher na vida do pai? - bem... ela pode já estar habituada a este tipo de comportamentos. 
  • Sendo assim, como é que eu explico este desaparecimento? Apareceu a esposa de Alex e, das duas umas, ou apertou-lhe a garganta e obrigou-os a ir com ela, ou simplesmente eles foram ter com ela e agora andam a divertir-se com os fantasmas que Greta contrata para ela própria.
  • E voltamos à Greta e aos seus fantasmas... Como é que uma miúda de 8 anos consegue empurrar o pai de uma janela? Este é daqueles mistérios que ainda preciso de resolver internamente.
  • E depois ainda temos aquele bando de adolescentes que continua a dar o ar de sua graça, apesar de ser indiretamente, e que eu acho que é apenas uma manobra de diversão. Ainda quero perceber o que é que eles têm para oferecer a este desaparecimento.
Já sei que a Denise quando ler isto vai revirar os olhos. Dizer que eu implico com tudo, que reparo em tudo o que é pormenor. O que fazer? Sou assim enquanto leitora. Não acho que seja necessariamente uma coisa má, sou apenas diferente.

5º Post-it - 31 de Agosto de 2017


Eu não consegui resolver o mistério. Porém, depois de ler o capítulo a seguir ao 4º Post-it comecei a desconfiar mais seriamente da sanidade de Alex. 
Eu fiquei um pouco mergulhada na confusão. Aliás, ler o livro foi como se eu própria tivesse caído ao lago que serve de cenário a esta narrativa. 
A sensação com que fiquei no fim foi que a autora quis dar um toque criativo ao livro, mas não o fez da melhor maneira. A forma como terminou foi desprovida daquela emoção que costuma acompanhar os livros deste género. 
Acho que muita desta minha insatisfação com o livro vem com a falta de garra das personagens. São tão "mornas", falta-lhes alma e realismo. 
A fórmula da autora não funcionou comigo. Eu sou muito racional e, na minha opinião, estes livros são marcados pela racionalidade, objetividade e ação. Assim, não é benéfico histórias paralelas que em nada acrescentam ao desenrolar dos acontecimentos, exceto mostrar que qualquer pessoa, de qualquer idade, pode ser vítima de submissão. Apesar de loucas, as coisas têm que ser credíveis, mesmo quando nos mostram uma coisa e depois a realidade é outra. Aqui refiro-me à relação entre Greta e Smilla.
Greta limita-se a andar em círculos e mais círculos no que toca ao desaparecimento de Alex e Smilla. Só serviu para termos acesso ao passado dela.

4 comentários:

  1. Não, não estou a revirar os olhos :P
    Gostei da forma como respondeste ao desafio, acho que este mistério era difícil. Nem eu consegui perceber antes de chegar mesmo lá.
    Só acho que implicas muito antes de terminar o livro; às vezes as coisas podem não ser como estás a pensar, como no ex da menina de 8 anos empurrar o pai pela janela; afinal acabou por não ser isso o que aconteceu.
    E aquela parte toda dos adolescentes acabou também por ter pouca importância, era só mais para arranjar mais uma forma de "assustar" Greta.

    Pelo menos parece-me que gostaste bastante de responder ao desafio, e já não é nada mau. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, gostei bastante do desafio! :)
      Como já disseste, eu racionalizo muito as coisas e elaboro mil e um teorias sobre tudo. Enfim, não é defeito é feitio :P.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!