quarta-feira, 5 de julho de 2017

Opinião | "Doces silêncios" de Deborah Smith

Doces Silêncios
Classificação: 5 Estrelas

Doces silêncios marca a minha estreia com os livros da autora Deborah Smith e posso dizer-vos que foi uma excelente leitura de estreia. 
Neste livro a autora consegue interligar dramas familiares, ação, relações, amor e tudo com um leve toque de humor que facilmente nos faz sorrir. 

Ao longo destas páginas acompanhamos a saga de duas famílias. A família de Hush McGillien e a família de Edwina e Al Jacobs. Muito afastas estas duas família, mas o amor entre David, o filho de Hush, e Ellie, a filha de Edwina e Al acaba por aproximá-las. Esta aproximação dá-se uma forma muito divertida e cheia de segredos que ao longo dos anos foram guardados à custa dos doces silêncios.

Adorei a Hush e a sua tenacidade e garra. Ela agarrou o mundo desde muito cedo e mesmo perante grandes adversidades não baixou os braços. A certa altura vê-se obrigada a lidar com Edwina. São mais parecidas do que aquilo que querem admitir e acabam por ser protagonistas de diálogos acutilantes e, ao mesmo tempo, repletos de situações caricatas que me obrigaram a para a leitura para rir à vontade e imaginar estas mulheres num cara a cara que salta das páginas do livro.

Um aspeto curioso quando li a sinopse e comecei a leitura foi que iria desenvolver sentimentos extremos e contraditórios em relação às diferentes personagens. Assim, iria adorar umas por viverem na simplicidade do campo e odiar aquelas que viviam guardadas pelo mundo protegido da política e dos tribunais. Claro, saiu-me completamente ao lado. São personagens tão bem construídas e humanas que conseguimos gostar deles e aceitar os seus defeitos. Não há uma distinção claro entre bons e maus. Aquilo que Deborah Smith tão bem nos apresenta são personagens reais que crescem com as suas qualidades e aprendem com os seus defeitos e dificuldades diárias. É essa dimensão tão realista, concreta e palpável que me fez adorar cada pedacinho desta narrativa apaixonante. 

A única coisa que me deixou ligeiramente aborrecida foi o final. Penso que uma determinada situação era desnecessária e que poderia ser substituída por outro tipo de interações que me fizesse ver mais das personagens e da relação que acabaram por construir. 

É um livro doce, com uma narrativa que vive dos silêncios e das narrativas de vida que decidimos construir à nossa volta. É uma estória de lutas e resiliência, onde o amor, por muitas voltas que se dê acaba por pintar de forma muito especial a vida das personagens que habitam aquelas páginas.

Nota: Este livro foi-me cedido pela editora em troca de uma opinião honesta.
Uma leitura com o apoio da:

Resultado de imagem para porto editora

2 comentários:

  1. Olá Silvana,
    Li este livro este fds e gostei muito (conto publicar a minha opinião ainda esta semana) ;)
    Apesar de não ser muito de romances, gosto da escrita da Deborah Smith e das personagens que cria. O único que não gostei foi Milagre e o meu preferido é A Doçura da Chuva ;)
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tita,

      O meu tempo tem sido escasso... Tenho tido tanta coisa para fazer que nem tenho passado nos vossos cantinhos como deve ser :(. A ver se esta semana me atualizo.
      Eu ainda só li este livro e sim, tem uma escrita muito boa :). Tenho de ler esses dois. Tenho curiosidade em relação ao "Milagre" porque tem uma estória pessoal envolvida. :)
      Beijinhos e boas leituras

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!