quinta-feira, 1 de junho de 2017

Top 10 | Crianças literárias

Hoje assinala-se o Dia Mundial da Criança. Andei com ideias de fazer algo especial, porém o tempo tem sido escasso e altamente espremido para conseguir fazer tudo o que preciso.

Então surgiu-me a ideia de criar um top de crianças que "conheci" através dos livros. Inicialmente estavam para ser apenas 5, mas a pesquisa pelas minhas leituras fez com que terminasse em 10 (com uma pequena "batota"). 

Espero que gostem das crianças que escolhi.
Desafio os leitores aqui do blog a comentarem com as suas crianças literárias, ou partilhar post onde façam também um top deste género. 

      Sheila do livro A crianças que não queria falar de Torey Hayden
A Criança Que Não Queria Falar

Foi a primeira crianças da Torey que conheci. É uma narrativa muito dura! Sheila não vive uma infância cor-de-rosa. Não sabe onde fica a terra dos sonhos, porque vive dentro de um pesadelo que a atira para um mundo só dela.
Escolhi a Sheila em forma de homenagem a todas as crianças que não têm direito à infância. É para todas as crianças que sofrem às mãos dos adultos.

Zezé do livro Meu pé de laranja lima de José Mauro de Vasconcelos
Meu Pé de Laranja Lima

Zezé foi a criança do universo literário mais doce e traquina que já conheci. Não tendo uma vida fácil refugia-se na sua imaginação e ofereceu-me gargalhadas e lágrimas. 
É um livro para ser lido em família. As crianças divertir-se-ão com as travessuras do Zezé enquanto os pais poderão olhar para uma parentalidade longe de ser positiva e construtiva.

Liesel e Rudy do livro A menina que roubava livros de Markus Zuzak
A Rapariga Que Roubava Livros

Esta aqui a minha batotice. Não poderia falar da Liesel sem falar no Rudy. Este é dos melhores livros que já li na vida e jamais esquecerei a ousadia de Liesel e o seu fascínio pelas palavras e pelos livros. Assim como não vou esquecer a forma despretensiosa como oferecia o seu coração amigo. Rudy, amigo de Liesel, tem também a sua importância em todo o enredo. Ele e Liesel fizeram-me chorar e ofereceram-me uma das cenas literárias mais emotivas.

Azaza do livro Mil sóis resplandecentes de Khaled Hosseini
Mil Sóis Resplandecentes

Terminei este livro ontem e as emoções que ele me provocou ainda continuam muito vivas dentro de mim. Azaza (significa acarinhada) é uma criança que uniu Laila e Mariam. Não é a protagonista deste maravilhoso livro, mas oferece momentos muito importantes. Há situações que ela viveu que não deveria ter vivido. Uma guerreira como a sua mãe. Azaza simboliza todas as meninas que nascem num país repressor, que não permite que meninas vão à escola e sejam tratadas com a dignidade que merecem. Se Azaza fosse uma criança real, aquilo que desejava para ela era a liberdade de poder ser quem ela quisesse e que jamais os seus direitos enquanto mulher fossem asfixiados por políticas e ideias que desrespeitam os Direitos Humanos.

Charlie do livro Apenas um desejo de Bárbara O' Connor
Apenas um Desejo

A Charlie calharam os pais errados. É uma menina doce e divertida que tem um enorme desejo que quer que se realize. Todas as crianças conseguirão sentir uma ligação especial com Charlie e com o seu amigo que "anda para cima e para baixo". É uma personagem para admirar e para nos inspirar com a sua tenacidade em busca daquilo que a fará feliz.

Bruno do livro O menino do pijama às riscas de John Boyne
O Rapaz do Pijama às Riscas

Mais uma vez temos uma criança que é uma vítima indireta da maldade humana. Para mim, Bruno representa uma qualidade muito especial das crianças: a capacidade de construir uma amizade simples e pura, sem interferências sociais, raciais e xenófobas. É uma estória triste, e que nos deixa de coração apertado. E tudo isto a torna inesquecível.

Tegan do livro A filha da minha melhor amiga de Dorothy Koomson
A Filha da Minha Melhor Amiga

Adorei a Tegan. Mais uma vez não é uma personagem principal, mas condiciona grande parte da narrativa de uma forma que a torna sensível e tocante. 

Ella do livro Tempo de dizer adeus de S. D. Robertson 
Tempo de dizer adeus

Ella é uma menina muito resiliente e muito criativa. Apesar de ter sofrido com as perdas dela, admirei-a pela postura que foi adotando ao longo do desenvolvimento da narrativa. Infelizmente, a Ella que conhecemos no livro tem pouco tempo para ser criança, porém fica-nos a esperança de que ela tenha conseguido superar a todas as suas perdas e se tenha entregado ao mundo imaginário e cheio de fantasia que deve fazer parte da vida de muitas crianças.

Jackson do livro Crenshaw: o grande gato imaginário de Katherine Applegate
30175718

Jackson é um menino muito inteligente e sensível. Agarrasse ao seu mundo imaginário para superar as dificuldades da sua vida real. Um livro muito bom para ser lido em conjunto com as crianças e falar das nossas diferentes formas de podermos resolver os nossos problemas. É também um livro que nos deixa espaço para falar abertamente dos amigos imaginários e de que não é mau eles surgirem em determinadas fases da nossa infância.

Leon do livro O meu nome é Leon de Kit de Waal
O Meu Nome é Leon

Leon é mais um menino que teve o azar de nascer com os pais errados. Ao longo da sua curta vida vê-se obrigado a lidar com muitos desafios. Uns deixam-no destroçado. É muito tocante assistir à forma como ele se relaciona com o irmão e a sua forma muito característica de enfrentar aquilo que a vida lhe oferece.

Estas foram as minhas dez crianças literárias. Não se esqueçam de partilhar as vossas. :)

2 comentários:

  1. Olá Silvana,
    Que top 10 bonito.
    Tenho o livro da Torey Hayden há anos na estante para ler, só que vai ficando para trás. Mas espero que deste ano não passe.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isaura,
      Obrigada :). Adorei fazê-lo.
      Se gostas de narrativas de não ficção penso que vais adorar Torey Hayden.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!