sexta-feira, 9 de junho de 2017

Opinião | "Mil sóis resplandecentes" de Khaled Hosseini

Mil Sóis Resplandecentes

Classificação: 5 Estrelas

Há muito tempo que um livro não me levava a lágrimas intensas, nem mexia tanto com o meu sistema emocional. 
A curiosidade em ler Mil sóis resplandecentes não é recente. Desde que entrei no mundo da blogoesfera que me deparei com opiniões de pessoas a quem este livro não foi indiferente. Então sempre me questionei acerca do que é que este livro poderia ter de diferente, uma vez que foi capaz de tocar muita gente de uma forma tão especial. Agora que terminei esta leitura passo dizer que este livro tem a sensibilidade estampada nas palavras e nas personagens; tem uma realidade que nos ultrapassa enquanto habitantes do mundo ocidente; tem a dureza da guerra; tem os detalhes históricos, que em nada aborrecem a leitura. Tem tanta coisa e de forma tão avassaladora que me fica a sensação que as minhas palavras, por muito bem escolhidas que sejam, não conseguem expressar de forma fiel a minha experiência com esta leitura.

De uma forma muito cuidada e bem documentada somos convidados a conhecer a realidade afegã pelos olhos de Mariam e Laila. Pertencem a gerações diferentes, com níveis socioculturais e económicos também dispares, mas a guerra acaba por colocá-las em pé de igualdade. Assim, começam a partilhar a mesma dura realidade. Se num primeiro momento tudo as afasta como pólos opostos num campo magnético, num segundo momento aproximam-se e ganham muito mais do que se cada uma se mantivesse no seu canto a olhar de lado para a outra.

Foi linda a forma como Mariam e Laila começaram a partilhar a amizade. Quanto mais se ofereciam uma à outra, mais eu me emocionava. Tenho plena certeza que cada uma delas brilhava no coração da outra mais do que mil sóis. Era esse brilho que as fazia sobreviver e resistir a Rashid, um "tradicional" marido afegão. 

Através de Rashid e de alguns outros elementos percebi o quanto devo agradecer ter nascido mulher num estado de direito, onde sou respeitada onde me permitem estudar, aceder a livros e a conhecimentos. Com este homem percebi que temos de lutar por relações felizes, estáveis, sem espaço para violência. Pois, assim, estaremos a lutar por algo que muitas mulheres que vivem sobre a pressão do Estado Islâmico não têm oportunidade de conquistar.

Cada passagem do livro, cada cena marcada pelo desrespeito, cada roquete que caía de forma aleatória sob Cabul ficaram gravados na minha cabeça e no meu coração. Quero guardar em mim a doçura e respeito que viviam no olhar de Tariq, a coragem e a generosidade de Miriam, a força de vontade e o respeito pelo conhecimento de Laila, a ternura de Aziza e o temperamento difícil de Rashid.

Um livro duro, escrito de forma excelente e sensível, que mexe com os nossos sentimentos e nos faz pensar acerca de como os direitos humanos e os direitos das mulheres são facilmente violados, deturpados e esquecidos.
Se por um lado somos fustigados com esta crueldade, por outro lado surgem os raios de esperança que as personagens guardam em cada luta por dias melhores. 

Por fim, o último aspeto que me ficou foi a importância da educação. A escola, o fomentar o interesse pelo conhecimento e pela aprendizagem moldam em muito a nossa visão sobre as coisas. No fundo, o acesso ao conhecimento permite-nos pensar e refletir de forma crítica sobre o que nos rodeia.

Um leitura avassaladora que me correrá pelas veias durante muito, muito tempo. 

6 comentários:

  1. Li o livro no início deste ano e também fiquei completamente rendida. Adorei a forma como a história da Mariam e da Laila se entrelaçaram, a sua força, amizade e todas as reviravoltas que a narrativa volta e meia dava. Também gostei de ficar a conhecer um pouco mais a realidade afegã que é contada sem aborrecer a leitura, como dizes e me fez sentir uma grande privilegiada por viver no ocidente e ter a liberdade para tanta coisa entre as quais a educação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sandra!

      Muito obrigada pelo teu comentário.
      Partilho imenso daquilo que escreveu neste comentário. Mariam e Laila veem a sua vida entrelaçada que se vai tornando especial.
      É um livro inesquecível.
      Boa semana e boas leituras.

      Eliminar
  2. Olá Silvana,
    Nunc ali nada do autor mas deixaste-me com vontade de ler. Tenho que lhe dar uma oportunidade.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tita,
      Ainda bem que ficaste com vontade de ler. Aguardo a tua opinião :)
      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
  3. Olá Silvana,
    Tenho aqui em casa outro livro do autor que tenho muita vontade de o ler. Mas este parece-me muito bem :)
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isa :)

      Este é muito bom... Mas desconfio que será assim com outras obras do autor. :) Por isso, não deixes esse livro muito tempo na estante à tua espera :).
      Beijinhos e boas leituras

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!