terça-feira, 25 de abril de 2017

Dia da Liberdade


Nasci em liberdade
Sem amarras
Sem correntes, nem barreiras.
Nasci num mundo que me deixa
Perder, correr, voar, ser
Por entre os diversos trilhos da vida
Aqueles que decido escolher
São as emoções a minha única censura 
Mas, felizmente, 
Sou livre para as sentir e expressar
E, apesar de o medo me impedir de muito, 
Sei que o mundo é uma porta aberta para mim
Porque um dia
Alguém ousou quebrar os muros
E oferecer-nos um futuro em liberdade
                                          Por detrás das palavras, 25 de Abril de 2017

O significado deste dia, desde que tomei consciência daquilo que ele significava para nós, me toca de forma particular. Cada vez mais devemos dar valor a esta liberdade e respeitá-la de forma a não deturpá-la. 
Para mim, devemos ser livres com responsabilidade, sem prejudicar aqueles que partilham o nosso espaço social. Porém, penso que é algo muitas vezes esquecido. Bem, também o verdadeiro significado de liberdade o é, pois são algumas as pessoas que não lhe dão o devido valor.
Eu valorizo muito a minha liberdade. Valorizo a possibilidade de ler o que eu quiser; poder escrever, sem medo, sobre o que me apetecer (mas sempre dentro dos limites do que é aceitável) e andar na rua sem medo e a poder olhar e admirar cada canto e recanto dos espaços que me acolhem.
Detesto quando usam a liberdade para ofender, gratuitamente os outros. Não gosto quando usam a liberdade para destruir algo que é Nosso. Não consigo compreender quando as pessoas decidem usar da sua liberdade sabendo que vão colocar outros em risco. 

Talvez não sejamos livres de forma plena. Esta plenitude está condicionada pelas regras da sociedade, da convivência... Contudo, eu acho-as importantes. Da mesma forma que as rotinas e as regras estruturam a personalidade das crianças, algumas das nossas regras sociais permitem "balizar" o nosso comportamento e a usar a nossa liberdade de forma saudável e protetora para todos. 

Acima de tudo, espero que nunca se percam as conquistas de abril (sabendo que, há 43 anos atrás nem tudo foi perfeito e idílico). Espero que, cada um de nós, saiba valorizar cada pedacinho de liberdade que nos foi oferecida. E que, para sempre, possamos gozar desta liberdade, sem prejudicar ninguém.

25 de Abril, ontem, hoje e para sempre

1 comentário:

  1. Eu nasci na ditadura, ams, felizmente só nela vivi dez meses, dos quais não me lembro. 25 de Abil sempre.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!