domingo, 19 de fevereiro de 2017

A entrevistada sou eu!

No passado dia 10 de fevereiro lancei um desafio aos meus leitores: deixarem-me perguntas para que responder.
A minha ideia era apenas dinamizar o espaço e dar-vos a oportunidade de conhecerem um pouco de mim. 

Infelizmente não teve o impacto que eu esperava, porém estou muito contente com as duas perguntas que me deixaram. 

Quem me deixou as questões foi a minha parceira dos empréstimos, Denise, do blog Quando se abre um livro. 

Ficam aqui as perguntas e as minhas respetivas respostas. 

Qual a atitude mais bondosa que já alguém teve para contigo?
Não é assim muito difícil de responder a esta questão. Apesar de algumas exceções, sinto que quando oferecemos comportamentos generosos, o universo coloca no nosso caminho pessoas especiais que nos oferecem atos de amor e amizade que nos ficam para sempre gravados. 

Não consigo colocar apenas um, porque foram duas situações diferentes, em alturas diferentes e foram demasiado marcantes para eu lhes dar um valor diferente.

1. No meu último ano, enquanto estudante universitária, passei por alguns momentos de muito stress e trabalho. No final do ano letivo tinha uma tese e um relatório de estágio para entregar. Foram muitas horas fechada, em frente ao computador a escrever. O tempo era escasso e ou escrevia ou vinha cozinhar. 
Eu sempre cozinhei para mim e, às vezes, para algumas amigas com quem partilhei casa. A J. não tinham muitos dotes culinários e aprendeu muitas das coisas connosco, lá em casa. Ela veio viver connosco no meu último ano, porém criei uma boa ligação com ela. É como uma irmã para mim. Apesar de ter sido naquele ano em que mais aprender sobre cozinha, onde muitas vezes cozinhei para ela, esta minha amiga, nos meus dias de aperto cozinhou para mim, Podiam ser apenas uns douradinhos (foi ela que me fez gostar de douradinhos) no forno com arroz branco, mas naquela altura era um prato divino. 
Uma outra amiga que ganhei nesta casa também, muitas vezes, me ofereceu sopa quando eu vinha almoçar a correr a casa, ou chegava ao domingo à noite a Coimbra sem levar jantar. 
Pode parecer insignificante aos olhos de muita gente, mas para mim eram gestos muito importantes. Eu não pedia, elas simplesmente me ofereciam. 

2. Este foi bem mais recente. Foi durante o verão do ano passado, em julho. Estava a terminar uma tarefa muito importante na altura. Tinha prazos muito apertados. O calor era imenso, a minha avó tinha falecido uns dias antes e eu estava com a ansiedade e stress em picos muito elevados. Precisava de um documento (que dependia de terceiros) e faltavam cerca de 5 horas para fechar o formulário. Uma amiga ligou-me nesse dia como se tivesse intuído qualquer coisa. Ficou comigo ao telefone a tentar acalmar-me a distrair-me e fazer-me focar no essencial. Só desligou quando eu tive de terminar a tarefa e quando já tinha os documentos todos. 
Sei que, no fim, me deitei diretamente no chão e tremia de tanto stress, Passado uns minutos ela voltou a ligar-me para saber como eu estava e esteve mais um tempo comigo ao telefone a tentar que eu relaxasse e descanse as ideias.

Se pudesses mudar uma só coisa em ti - seja físico ou algum aspeto da personalidade - o que mudarias? 
Fisicamente, gostava de ter uma pele facial 100% suave e sem marcas. Tenho algumas marcas de borbulhas e de varicela. Eu tive varicela já em adolescente e a coisa não foi bonita, acabou por deixar marcas.

Muito obrigada pelas perguntas, Denise. Espero que as respostas te tenham satisfeito a curiosidade.

2 comentários:

  1. Gostei muito. Achei as respostas à primeira questão muito interessantes. Realmente, quando somos generosos, mais tarde ou mais cedo acabamos também por receber generosidade. A atitude dessas tuas amigas revela verdadeira amizade. :)

    Quanto à segunda questão, também me dava jeito uma pele mais suave!! eheh

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Eu quero acreditar que sim. Nunca faço nada tem em vista alguma recompensa. A única coisa que peço é que quando for eu a pedir ajuda, essa ajuda me chegue. E eu só peço mesmo em caso de última necessidade.

      Acho que uns dias num SPA, com tratamentos especializados na área facial faria milagres por nós :).
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!