domingo, 31 de dezembro de 2017

Desafios literários 2018

Português no Masculino

Há uns anos atrás, eu e a Marta do blog I only have, criamos um desafio para lermos mais autoras portuguesas. Em anos anteriores tive a intenção de dar uma nova vida ao desafio. Foi este ano. Assim, todos os meses quero ler um livro de um autor português. No início de cada mês irei anunciar o autor e o livro que pretendo ler, assim como dar algumas informações acerca desse autor. Se surgir oportunidade de entrevistas, também as farei. 

Leituras Sustentáveis

Cada vez mais me preocupo com o ambiente e com a importância de seguir alguns princípios do minimalismo. Desde que descobri as trocas que é algo que faço com alguma frequência. Por vezes, o que acontece é que os livros ficam ali pela estante à espera de vez. Assim este ano desafio-me a ler 12 livros que resultem de trocas. 
Vou começar pelos da estante, mas se algum deles acabar por resultar numa troca irei assinalar aqui no desafio. 

Um mês...Um conto...

Este desafio é uma forma de me tentar redimir com o fracasso do ano passado. Desta vez, proponho-me a ler, pelo menos, um conto por mês. 

Seis por seis

Este é um desafio ajustável às vossas necessidades.
Este desafio consistirá em elegerem seis categorias e ler seis livros dentro das categorias que vocês escolherem. Só será permitido usar um livro para uma única categoria. 
Aqui ficam as minhas seis categorias:

  1. Seis clássicos
  2. Seis calhamaços (um livro com mais de 480 páginas)
  3. Seis ebooks
  4. Seis livros da minha estante
  5. Seis livros da biblioteca
  6. Seis livros de novos autores para mim 

Relativamente ao desafio do Goodreads, irei colocar como meta os 52 livros. Vou aumentar dois relativamente ao ano passado. 

Os meus desafios estão à disposição de quem os quiser levar. 
Caso queiram fazer algum destes desafios, deixem nos comentários. Terei imenso gosto em acompanhar o vosso percurso.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Dezembro | Quem chegou?

E chegamos ao fim de mais um ano.
Ficam aqui os últimos livros do ano, que chegaram à minha estante.

Trocas
Mistérios do Sul

Este livro chegou-me através de uma troca e veio contribuir para a minha ansiedade relativamente aos livros da autora que se começam a acumular nas estante. 

Oferta Editora
O Escultor da Morte (Robert Hunter, #4)

Este livro foi-me cedido pela Topseller. É a minha atual leitura e está a ser excelente. Dos melhores livros dentro do género que me passou pelas mãos.

Empréstimo
Escrito na Água - Preview
A minha cunhada também gosta de ler e vai partilhando comigo as suas aquisições. Esta foi uma delas. 

Presentes de Natal
O Hotel das Recordações (Inn BoonsBoro, #1)O Último Amor (Inn BoonsBoro, #1)Uma Nova Promessa (Inn Boonsboro, #3)
Há muito tempo que não recebia livros pelo Natal. Fiquei muito contente com estes presentes. 

TAG | Ano Novo


Quero terminar o ano com uma Tag especial. Por isso, decidi criar uma Tag especial para assinalar a entrada de um novo ano. 
Sintam-se à vontade para a levar e responder. Se responderem, deixem-me aqui os links para que eu depois possa ver as vossas respostas. 

Relógio | A contagem decrescente aproxima-se.
Que livro querias ter lido este ano, mas não conseguiste?

A Filha do Barão
A Filha do Barão
Célia Loureiro

Este foi aquele livro que me deixou mesmo triste por não o ter conseguido ler. Quero reler a continuação, mas só depois de ler este primeiro volume da série. Será no próximo ano, sem falta.

Passas | Adoras por uns, detestadas por outros, são elas que abrem a passagem ao pedido dos desejos.
Que livro queres muito ler no próximo ano?
Ensaio Sobre a Cegueira
Ensaio sobre a cegueira
José Saramago

Ando há anos para ler José Saramago. Espero que 2018 seja o ano.

Champanhe | A companhia das passas nos festejos da entrada do novo ano.
Há algum autor que queiras "conhecer" no próximo ano.
Resultado de imagem para José Luís Peixoto
José Luís Peixoto

Já tentei ler um livro do autor, mas acho que não o fiz na altura certa. No próximo ano quero fazer uma nova tentativa. 

Fogo de artifício| Aos primeiros segundos do novo ano milhares de pontos coloridos iluminam os céus.
Qual o livro mais bonito que leste em 2017? (Pode ser pela edição, pela história, pelas personagens...)
Tempo de dizer adeus
Tempo de dizer adeus
S.D. Robertson

Escolhi um livro pela edição. É uma das capas mais bonitas que já vi. Uma edição muito bem conseguida.

Lingerie | Azul, vermelha, amarela... Tudo depende daquilo que queres atrair para o próximo ano.
Indica três metas literárias para 2018.
  • Ler mais de 16 autores nacionais;
  • Ler 52 livros;
  • Ler mais livros da minha estante. 

Leituras 2017

Janeiro
1. O meu nome é Leon  (Kit de Waal)
3. Fangirl  (Rainbow Rowell)

Fevereiro
4. Peónia Vermelha  (André de Oliveira)
5. Corações gelados (Laurie Halse Anderson)
7. Crenshaw: O grande gato imaginário (Katherine Applegate)
8. Um mar de rosas (Nora Roberts)
9. Chamas  (Patrícia Morais)
10. Doze semanas para mudar uma vida (Augusto Cury)

Março
11. A Coroa de Inverno (Elizabeth Chadwick)
12. Apenas um desejo (Barbara O'Connor)
13. Perfeito para mim  (Jill Shalvis)

Abril
14. Para sempre não é muito tempo (Carolina Pacoal)
15. Soberba Ilusão (Andreia Ferreira)
16. Eleanor & Park (Rainbow Rowell)
17. Mors tua, vita mea: A tua morte, a minha vida (Vanessa Santos)
18. 9 de novembro (Colleen Hoover)

Maio
19. Tempo de dizer adeus (S. D. Robertson)
20. Mais não, Papá! (Maria Landon)
21. Casamento em Veneza ( Elizabeth Adler)
22. Mil sóis resplandecentes (Khaled Hosseini)

Junho
23. Inês (Maria João Fialho Gouveia)
24. Uma noite de amor (Mary Balogh)
25. Regresso a Mandalay (Rosanna Ley)
26. As impertinências do cupido (Ana Gil Campos)
27. Doces Silêncios (Deborah Smith)

Julho
28. Se isto é homem (Primo Levi)
29. Reencontro com o amor (Melissa Pimentel)
30. A fronteira do perpétuo ( Teresa Poças)
31. Mar de papoilas (Amitav Ghosh)
32. Se eu fosse tua (Meredith Russo)

Agosto
33. O que há nas mãos do meu avô/ O que há nas mãos da minha avó (Fabíola Lopes)
34. O que há nos cabelos da minha mãe (Fabíola Lopes)
35. Uma nova esperança (Colleen Hoover)
36. O que há na barriga do meu pai (Fabíola Lopes)
37. Frágil (Jodi Picoult)
38. Cama supra (Rick Kirkman e Jerry Scott)
39. Perfume de paixão (Jude Deveraux)
40. A promessa (Lesley Pearse)
41. Corações na Escuridão (Laura Kaye)
42. Desaparecidos (Caroline Erikson)
43. Amor de perdição (Camilo Castelo Branco)

Setembro
44. A livraria dos finais felizes (Katarina Bivald)
45. Sangue do coração (Juliet Marillier)

Outubro
46. Uma boa mulher (Jill Alexander Essbaum)
47. A síndrome de Peter Pan (Eliana G. Pyhn)
48. Maresia e Fortuna (Andreia Ferreira)
49. Amor às claras (Laura Kaye)

Novembro
50. Os meus poemas não rimam (Ana Beatriz Cruz)
51. Morte súbita (J. K. Rowling)
52. A linha ténue do passado (Mónica Cortesão Gonçalves)
53. Antes de eu morrer (Jenny Downham)
54. O intestino também sente (Leonor Martín)

Dezembro
55. Sinto a tua falta (Kate Eberlen)
56. Presa e predador (Gordon Reece)
57. O escultor da morte (Chris Carter)

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Por detrás da tela | "Capitão fantástico" (2016)

Classificação: 8/10 Estrelas

Já há muito tempo que queria ver este filme. Houve qualquer coisa no trailer que me despertou a atenção. 
A premissa que dá corpo ao filme é muito simples: um pai e uma mãe que optam por um estilo de vida diferente e é nele que decidem educar os seus filhos. Infelizmente, a mão adoece. Abandona o refugiu deles e fica o pai abraços com 6 filhos. 
O estilo de vida deles é bastante diferente quando comparamos à sociedade "normal". Há aspetos muito interessantes e que nos deixam a pensar pela positiva, nomeadamente: cultivar o gosto pela leitura e pela música, uma alimentação equilibrada, um grande contacto com a natureza, a prática de exercício físico. Porém, há outros que assustam um pouco pela dureza e frieza que lhes está inerente, designadamente, a caça. 

Não quero explorar muito estes aspetos porque são eles que dão ao filme uma tonalidade especial e que nos prende a todo o enredo. 

Eu gostei muito das interpretações. Os miúdos mais novos são muito queridos e adotam aquele jeito natural e despreocupado com o mundo. Esta postura dá aso a alguns momentos de humor. 

Há também alguns pontos de conflito familiar que são importantes para o desenrolar da história e percebermos melhor as relações que se estabelecem na atualidade e como funcionava aquela família no passado.

Quero destacar aqui um aspeto que achei muito interessante. A dada altura, uma das filhas está a ler um livro e o pai pergunta-lhe o que é que ela está a achar. Há palavras proibidas no que respeita à opinião a dar a um livro. É curioso, porque ele estimula os filhos no sentido de serem críticos e falarem dos sentimentos que os livros lhes provocam. 

Refleti muito com este filme. Pensei acerca de métodos de ensino, da forma como a atual sociedade se rege e nos caminhos que estamos a optar por percorrer. 
Acho que foi um filme que passou um pouco despercebido. Não vi grande publicidade, nem muito euforia em torno dele. Não se deixem levar por estas subtilezas e atrevam-se a ver. Acho que poderão ter uma agradável surpresa.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Balanço | Desafios 2017

O ano está a terminar e está na altura de fazer o balanço relativamente ao meu desempenho nos desafios. 
É engraçado ver que apenas cumpri um desafio. Em mim instala-se uma pequena sensação de frustração e de fracasso, mas pode ser que no próximo ano a coisa corra melhor.
Tenho alguns desafios/projetos criados, que partilharei com vocês nos próximos dias.

Quem lê um conto


Um desafio totalmente falhado. Eu queria ler mais contos de forma a explorar novos autores/trabalhos, por isso criei este desafio. O que aconteceu foi que não li um único conto em 2017. 


Abaixo a pilha 2017

Nível 1 Iniciante - 1 a 20 livros
1. O meu nome é Leon - Kit de Waal
2. Maria vai-te deitar! e outros contos - Lubélia Sousa
3. Peónia Vermelha - André de Oliveira
4. Corações gelados -  Laurie Halse Anderson
5. A coroa de inverno - Elizabeth Chadwick
6. Perfeito para mim - Jill Shalvis
7. Soberba ilusão - Andreia Ferreira
8. Casamento em Veneza - Elizabeth Adler
9. Uma noite de amor - Mary Balogh
10. Mar de papoilas - Amitav Ghosh
11. Cama supra- Jerry Scott & Rick Kirkman
12. Perfume de paixão - Jude Deveraux
13. A promessa - Lesley Pearse
14. A livraria dos finais felizes - Katarina Bivald
15. A linha ténue do passado - Mónica Cortesão Gonçalves

Este foi um desafio que eu resgatei do grupo do Goodreads moderado pela Isa, a Patrícia e a Sara. Defini como meta o nível 1. Fiquei a 5 livros de terminar este desafio. Não considero que foi um mau desempenho. Comparativamente a anos anteriores acho que consegui ler mais livros que estavam na minha estante, numa espera eterna para ser lidos.

Leituras lusitanas

Nível 2 Intermédio - 13 a 24 livros

2. Peónia Vermelha - André de Oliveira- Patrícia Morais
3. Chamas - Patrícia Morais
4. Para sempre não é muito tempo - Carolina Pascoal
5. Soberba ilusão - Andreia Ferreira
7. Inês - Maria João Fialho Gouveia
8. As impertinências do cupido - Ana Gil Campos
9. A fronteira do perpétuo - Teresa Poças
12. O que há na barriga do meu pai - Fabíola Lopes
13. Amor de perdição - Camilo Castelo Branco
14. Maresia e fortuna - Andreia Ferreira
15. Os meus poemas não rimam - Ana Beatriz Cruz
16. A linha ténue do passado - Mónica Cortesão Gonçalves

Desafio superado. Estou muito contente por ter conseguido ler 16 livros de autores portugueses. Sei que já fiz melhor, mesmo assim fico orgulhosa por ter lido este número. Quero continuar a manter este ritmo "nacional". 

Ler 5 clássicos
1. Se isto é um homem - Primo Levi
2. Amor de perdição - Camilo Castelo Branco

Outro falhanço literário. Acho que me esforcei pouco para este desafio. 

Ler 5 calhamaços
1. Peónia Vermelha - André de Oliveira
2. Mors tua, vita mea: a tua morte, a minha vida - Vanessa Santos
3. A promessa - Lesley Pearse

Este é um dos desafios não cumpridos que me deixa mais frustrada. Esta frustração advém do facto de ter lido bastantes livros que estiveram perto das 500 páginas. 

Ler 5 ebooks
1. Para sempre não é muito tempo - Carolina Pascoal

Outro desafio falhado. Tenho de rentabilizar a quantidade de ebooks que tenho para ler.

Outros desafios literárias...

1. Um autor que nunca leste e queres ler. - José Saramago - Falhado
2. Um livro que queres muito ler. - Pedaços de ternura de Dorothy Koomson - Falhado
3. Um clássico que queres ler. - Sensibilidade e bom senso de Jane Austen - Falhado
4. Um livro que queres reler. - O escultor de Carina Rosa - Falhado
5. Um livro que tens há séculos e queres finalmente ler. - A Bibliotecária de Auschwitz de António G. Iturbe - Falhado
6. Um livro gigante que queres ter a coragem para ler. - O filho de Thor de Juliet Marillier - Falhado
7. Um autor que já leste e queres voltar a ler. - Lesley Pearse - Cumprido
8. Um livro que te ofereceram no Natal e que queres ler. - A guerra não tem rosto de mulher de Svetlana Alexievich - Falhado
9. Uma série que queres ler, do primeiro ao último livro. - Série Victoria Bergmans svaghet. - Falhado
A rapariga corvo
Fome de fogo
As instruções da pitonisa
10. Uma série que já começaste e queres terminar. - Série Asas da Glória de Sarah Sundin. - Falhado
Nas asas da memória
Nas asas do amanhã
11. Quantos livros queres ler em 2017? - 50 livros. - Cumprido
12. Mais algum objectivo literário que queiras partilhar? - Ler mais autores portugueses dos que nos anos anteriores. - Mais ou menos cumprido (O ano passado tinha lido 14 e este ano li 16. Porém, em 2015 li 24 livros de autores nacionais)

Palavras Memoráveis


O corpo não passa de um pacote para as virtudes no interior. E tu és uma mulher cheia de virtudes. Abnegação, gentileza, compaixão. Tudo aquilo que importa. A juventude e a beleza desvanecem. A decência humana não.
Colleen Hoover, 9 de novembro

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Passatempo | Resultado

Já temos vencedor para o passatempo em que eu estava a oferecer o livro "A síndrome de Peter Pan".


O vencedor já foi contactado e, em breve receberá o livro em sua casa.
Agradeço, a todos, a participação.

a Rafflecopter giveaway

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Opinião | "Presa e predador" de Gordon Reece

Presa e Predador
Classificação: 4 Estrelas

Não parti para esta leitura com grandes expetativas. Olhei para a sinopse, olhei para o tamanho e fiz o meu julgamento. Felizmente, acabei por julgá-lo mal. 
Não é um livro para cinco estrelas, porque tem alguns traços de previsibilidade dos acontecimentos. Contudo, consegue manter-nos muito presentes na leitura e é preenchido por muitos momentos de suspense. 

Shelley passou por momento extremamente complicados. Sofreu de bullying na escola. Acho que esta parte não foi tão desenvolvida como deveria ter sido. No contexto geral do livro fica um pouco deslocado. Eu cheguei a um ponto da narrativa em que já nem pensava nesta situação. Apesar desta pouca ligação entre os acontecimentos, eu considero que aquilo que está presente na história sobre este tema foi bem conseguida, estava até bem explicada, mas merecia um prolongamento no livro. Foi doloroso ler as agressões a esta miúda. Fez-me lembrar o que se passou com uma menina que acompanhei. Ambas as histórias têm bastante traços em comum. Só divergiram no tipo de agressões e na forma como tudo terminou. 

Depois desta fase mais inicial, o livro entra num contexto mais negro onde Shelley e a mãe são postas à prova. É engraçado ver como todos os acontecimentos desta parte do livro mexem com as nossas conceções de bem e de mal, de justiça e de moral. Eu condeno o que elas fizeram, mas talvez não tivessem mesmo outra saída. Fiquei deslumbrada pelo pensamento prático da mãe desta jovem e na forma como ela fez para que tudo batesse o mais certo possível. Como já referi mais atrás, alguns aspetos são bastante previsíveis, mas vamos ficando sempre na expetativa de que aconteça algum diferente e há até momento em que me vi de respiração suspensa só para saber como é que as coisas iam evoluir e como é estas duas mulheres iriam "descalçar" a bota que calçaram. 

Recomendo este livro a quem goste de livros de suspense e pautados por acontecimentos que colocam em causa os nossos valores morais e as nossas conceções de bem, de mal e de justiça. 

domingo, 24 de dezembro de 2017

Feliz Natal


Queridos leitores, visitantes e editoras parceiras!

Que o vosso Natal seja preenchido pelo doce sabor dos momentos junto de quem vos faz feliz.
Obrigada pelo vosso carinho e atenção para com este meu humilde espaço.

Feliz Natal




sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Opinião | "O intestino também sente" de Leonor Martín

O Intestino Também Sente
Classificação: 5 Estrelas

Este livro veio ter às minhas mãos através do gentil empréstimo da Denise. Estava muito curiosa para ler este livro quer pela curiosidade acerca do tema, quer pela forma entusiasmada com que a Denise me falou dele. 

Este devia ser um livro de leitura obrigatória, pois ele faz-nos olhar de forma mais atenta para os nosso hábitos alimentares e para o nosso estilo de vida. 
Não quer dizer que precisamos de concordar contudo com o que está escrito neste livro e seguir à risca todas as indicações, mas penso que é uma leitura importante para nos fazer pensar e, quem sabe, promover a mudança de alguns dos nossos comportamentos.
No geral eu concordei com tudo o que aqui estava descrito. Só a proposta de lavagem do intestino que a autora propunha é que me deixou um pouco cética. 
Gostei imenso de ler sobre os casos práticos que ela nos apresentava e de que forma ela conseguiu efetivamente ajudar no problema. 

Aprendi acerca de coisas como o pH do corpo e que tipo de alimentos são capazes de baixar o pH e os que são capazes de o subir. Aprendi acerca da importância de mantermos um pH em equilíbrio. A autora deixa imensas sugestões e reforça a importância de uma alimentação equilibrada, saudável onde os legumes, as leguminosas e as frutas devem ter um papel de destaque.

Esta questão do pH e da alimentação é muito importante, uma vez que está intimamente relacionado com o desenvolvimento de células cancerígenas. Acho que esta mensagem é bastante importante, até porque vem reforçar aquilo que eu já tinha conhecimento: a forma como nos alimentamos influencia a maneira como suportamos os tratamentos de quimioterapia. Há certos alimentos, hábitos alimentares que tornam a quimioterapia custosa e com mais efeitos secundários.

Foi também muito importante saber mais sobre o funcionamento do intestino e das origens da sua formação a nível embrionário.
Leonor Martín reforça que devemos olhar para o funcionamento do organismo como um todo. Ao termos uma visão holística de todos os sistemas que compõem o nosso organismo faz-nos encarar as doenças e o seu tratamento de uma forma completamente diferente. Da minha perspetiva, este olhar sobre a medicina faz muito mais sentido do que a (des)articulação das diferentes especialidades. Quantas as vezes as pessoas não passam de uma especialidade para outra sem que lhes seja apresentado um diagnóstico e uma opção de tratamento?

Penso que é uma leitura excelente para qualquer pessoas que se interesse pelas questões do bem-estar e da alimentação.
Eu tentei mudar alguns hábitos. Apesar de já comer muitos vegetais, muita sopa, tenho um grande problema com o açúcar... Já bebo chá, cevada e leite sem açúcar. Gostava de beber leite de soja em alternativa ao leite de vaca, mas cá em casa é uma mudança que gera uma grande discussão. Porém, podemos sempre optar, fazer escolhas e tentar levar uma alimentação o mais natural possível.

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Palavras Memoráveis


Aquela frase afeta-me mais do que qualquer outra coisa que tenha dito a noite inteira, e não sei se é porque por um momento parecemos os velhos Fallon e Ben, ou porque tirou a mão e me envolveu nos seus braços, puxando-me para um dos seus abraços que esmagam a alma.
Colleen Hoover, 9 de novembro

Lista | Livros para ler no Inverno de 2018

Como já vem sendo tradição aqui no blog, ao iniciar uma estação eu apresento a minha lista de leituras para essa estação. 
Antes de vos apresentar os novos livros, quero fazer o balanço da lista anterior. Assim, relativamente à lista de Outono posso dizer que, apesar de ter quebrado o meu ciclo de listas concluídas, nem correu mal. Ficaram por ler apenas 2 livros da lista, livros esse que irei incluir na próxima lista. 

Durante os próximos meses quero ler:

1. A Filha do Barão (Célia Loureiro Correia)
2. És o meu destino (Lesley Pearse)
3. O escultor da morte (Chris Carter)
A Filha do BarãoÉs o Meu Destino (Belle #3)O Escultor da Morte (Robert Hunter, #4)

4. A boneca de Kokoscha (Afonso Cruz)
5. Tua para sempre (Luanne Rice & Joseph Monninger)
6.  Orbias - As guerreiras da Deusa (Fábio Ventura)
A Boneca De KokoschkaTua Para SempreOrbias - As Guerreiras da Deusa (Orbias, #1)

7. Mortalha para uma enfermeira (P. D. James)
8.Caçadores de cabeças (Jo Nesbø)
9. A bela e o vilão (Julia Quinn)
10. Aquele beijo (Julia Quinn)
Mortalha Para Uma EnfermeiraCaçadores de CabeçasA Bela e o Vilão (Bridgertons, #6)Aquele Beijo (Bridgertons #7)

Qual (ais) o(s) livro(s) que conhecem?
Qual(ais) o(s) livro(s) que vos despertam maior interesse?

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

TAG - Especial Natal | Árvore de Natal



Pinheiro | Um dos grandes símbolos do Natal. Ele representa a honestidade, a longevidade e a força. Indica o autor que queres acompanhar a sua carreira até à eternidade.
Lesley Pearse

É uma das minhas autoras preferidas de todos os tempos. É aquela autora de quem faço questão ter todos os livros. Adoro as suas histórias e gosto de me perder nos meandros dramáticos que constrói.

Luzes | Verdes, brancas, azuis, vermelhas... São muitas as cores que iluminam o espaço. Indica um livro/autor que de alguma forma te "iluminou" a vida. 
Mil Sóis Resplandecentes
Khaled Hosseini
Este foi uma das minhas melhores leituras de 2017. Um livro que me iluminou no sentido em que me fez pensar na sorte que tenho em ser mulher no mundo ocidental. Cada uma daquelas palavras, cada uma das personagens ficou em mim e iluminou o meu interior como se fosse um sol resplandecente. 

Fitas | Dão um colorido especial à árvore. Indica um livro especial da tua estante.
Emocionário

É dos livros infantis mais bonitos e ternurentos com quem já me cruzei. 

Chocolates | Toda a gente os procura, quase ninguém lhes resiste. Nunca ficam muito tempo a adornar a árvore de Natal. Indica um livro que devoraste. 
Amor às Claras (Hearts in Darkness, #2)
Amor às Claras
Laura Kaye

O enredo deste livro é rápido e conseguiu prender a minha atenção logo do início. Foi a leitura mais rápida que fiz este ano.

Bolas | Uma bola ali... outra acolá... Em quantidades certas dão um colorido especial. Indica um autor(a) cujo trabalho conheces pouco mas tens vontade de ler mais.
Resultado de imagem para célia loureiro correia 
Célia Correia Loureiro

Ainda só li apenas  três trabalhos da autora e um deles foi enquanto leitora beta. Gostei muito de ambas, mas quero ler as restantes obras da autora.

Laços | Um forte complemento das bolas. Do autor(a) que referiste anteriormente indica o livro que despertou em ti a vontade de leres mais obras.

Cinzas e Neve
Cinzas e neve
Este é um pequeno conto da autora. Em poucas páginas, a Célia conseguiu criar um conjunto de personagens e um enredo que nos faz querer mais.

Estrela | O elemento essencial da árvore de Natal e um símbolo especial desta época. Indica um livro que é uma referência para ti (ou pelo assunto abordado, ou pela forma como as personagens enfrentam os seus destinos...)
O Grande Amor da Minha Vida (O Cavaleiro de Bronze, #1)
O grande amor da minha vida
Paullina Simons

Este livro nunca deixará a minha estante. É um livro como uma história de amor em tempo de guerra completamente arrebatadora. É livro para ser saboreado. Muitas vezes, quando preciso de ler algo reconfortante, pego nele, abro numa página ao calhas e leio essa passagem. É um livro demasiado bom para ser esquecido. 

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Sondagem | Qual foi a vossa melhor leitura de 2017?


O ano está a terminar e tenho a certeza que fizeram excelentes leituras ao longo deste ano que está quase a terminar. 
Então, tendo por base esta ideia, achei que podia fazer algo diferente e promover uma interação entre as pessoas que me acompanham e que também se dedicam às leituras. 

Qualquer pessoa pode participar, independentemente de ter ou não blog. 
Como é que isto se vai processar? Simples.

Em baixo terão um formulário para preencher com o título do livro que vocês consideram ser a vossa melhor leitura de 2017. Ele estará ativo até 8 de Janeiro
Assim que terminar este período para vocês deixarem a vossa sugestão eu apresentarei aqui os livros que vocês sugeriram.
Por fim, irei abrir uma votação para que, dos livros identificados, vocês possam escolher dois para eu ler ao longo de 2018. Eu escolherei outros dois. Assim, no total, pretendo ler 4 livros de entre as vossas sugestões. 
Para isso preciso que vocês participem. :)


sábado, 16 de dezembro de 2017

Por detrás da tela | "A idade de Adaline" (2015)

Classificação: 7/10 Estrelas

À partida este seria um daqueles filmes que não me iria conquistar. O motivo é simples: a presença de elementos menos realistas. Eu não sou grande fã de fantasia ou elementos que fogem do lado mais racional. Eu gosto de filmes que me convidem a refletir, mas para isso eu tenho que sentir que aquilo de facto poderia acontecer. No caso deste filme, o elemento irreal (pelo menos para já) prende-se com o facto de Adaline não envelhecer. Esta particularidade da rapariga vai trazer-lhe grandes complicações e obrigá-la a uma ginástica pessoal para que consiga sobreviver sem ter que dar grandes explicações.

Achei um filme bonito porque se centra nas implicações da característica da Adaline na construção de relações interpessoais, mais especificamente em relações românticas. 
Quem desempenha o papel de Adaline é Blake Lively. Foi a primeira vez que me cruzei com esta atriz e não fiquei muito fã. Acho que lhe faltou um pouco de expressividade, não viveu de forma muito intensa os dramas que se cruzavam com ela e nem sempre as coisas me pareceram muito genuínas.

Apesar disso eu gostei de toda a envolvência da ação e dos comportamentos das personagens. Gostei de ver Adaline confrontada com as suas fugas e à sua verdadeira realidade. 
E gostei muito do final. Já estava à espera deste tipo de final, mas sabe sempre bem vermos as coisas a terminar de forma positiva (para coisas negativas já chegam os nossos finais). 

É um filme agradável e com uma temática que traz positividade à nossa vida. É ótimo para se ver embrulhadinha numa manta, num tarde de temporal e com um bagos de romã a acompanhar (acreditem, são um excelente substituto de pipocas). 

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Palavras Memoráveis


- Uma das coisas de que tento sempre lembrar-me é que todos temos cicatrizes - diz ela. - Muitas delas piores que as minhas. A única diferença é que as minhas são visíveis e as da maioria das pessoas não são.
Colleen Hoover, 9 de novembro

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Opinião | "Sinto a tua falta" de Kate Eberlen

Sinto a Tua Falta
Classificação: 4 Estrelas

Este é um daqueles livros que eu chamo de mentirosos. Ao olharmos para a capa e para o título parece que nos vamos cruzar com um livro lamechares e cheio de romantismo. Podia ser um livro desse género, só que não é. Isto afasta os leitores que não gostam de um tipo de livro fortemente marcado pelo romance. 
Este livro tem romance, mas vai muito mais além do que simples casal que se apaixona e que tem mil e um obstáculos até terem o seu felizes para sempre.

Ao longo do livro ficamos a conhecer o Gus e a Tess. Cada um deles nos dá a conhecer a sua realidade de forma independente, o engraçado é que nós leitores conseguimos identificar momentos em que os caminhos de Gus e de Tess se cruzam sem que eles atribuam grande reconhecimento ou significado a estes pequenos acidentes de percurso.

Cada um deles tem uma história muito interessante e com desafios que nos deixam a pensar. Tess e Gus ajudam-nos a mergulhar em temas como o luto, o sentimento de culpa, a traição, o alcoolismo, a solidão e o síndrome de Asperger. 
Com o Gus irritei-me muitas vezes. Compreendia a forma como os seus fantasmas habitam no seu interior e a forma como os seus pais os faziam agitar ainda mais. Sofri um bocadinho com ele, porém em alguns momento achei-o tão parvo e infantil que só me apetecia bater-lhe. Felizmente tinha uma amiga, a Nash, que lhe exorcizava os fantasmas e fazia com que ele visse as coisas com um bocadinhos de mais clareza. O que mais gostei nele foi o seu lado sensível e sonhador. Um verdadeiro apreciador de arte. Infelizmente, nem sempre este lado mais bonito conseguia emergir das cinzar e ajudá-lo na sua vida.
E depois temos Tess que teve de abdicar dos seus sonhos para cuidar da sua irmã, Hope. Também me irritei com ela, principalmente quando ela se deixava levar pela ingenuidade. Não foi fácil vê-la a tentar compreender a Hope e a ter de ajustar a sua vida em função da sua irmã mais nova. Foi duro ver que faltava alguém que cuidasse dela de forma genuína e altruísta. Tess era uma rapariga dos livros, por isso ao longo da narrativa são várias as referências a livros com as quais nos cruzamos.

O final deixou-me zangada. Eu sou romântica no que toca aos livros e idealizei tanto aquele final, esperei tanto por ele que quando ele chegou foi demasiado apressado e sem aquele toque de emoção que acompanhou grande parte do livro. Esperava mais deste final, com mais desenvolvimento e com mais espaço para tudo em volta daquilo que aconteceu crescesse e nos baralhasse as emoções. 
Sendo o primeiro livro da autora, considero que foi um bom começo. Tem uma escrita simples, fluída e muito cativante. Eu fiquei presa logo nas primeiras páginas e sempre com vontade de ler mais e mais capítulos para ver por onde as coisas evoluíam. 
Para aqueles que se deixam influenciar pelas capas e pelos títulos e fogem a sete pés de romances, apostem neste, acho que poderão ser surpreendidos.