quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Opinião | "A Lucidez" de Célia Correia Loureiro

A Lucidez

Classificação: 4 estrelas

Para mim, opinar sobre um conto nem sempre é fácil. Na minha cabeça tenho de reforçar a ideia de que um conto é algo limitado em termos de número de páginas/ palavras, objetivo e que é assim que devo olhar para ele. Não quero, nem posso, que a minha ânsia em saber mais acerca da estória se intrometa na minha análise do mesmo.

Eu gostei muito de ler este conto... Aliás como todo o trabalho que tenho vindo a conhecer da Célia. Sim, na minha cabeça, instalou-se aquela ânsia de querer ler mais sobre Irene, de ir mais longe na loucura que, segundo aqueles que a rodeiam, a veio visitar. 
Um conto muito bem escrito que tem como pano de fundo uma sociedade conservadora onde a forma como se olha para a saúde mental assusta os nossos contemporâneos (ainda há muita coisa a melhorar, mas é o olhar pelo passado que nos permite ver que muita coisa mudou para melhor). 

Gostei muito da Irene. Apesar de a ter conhecido muito pouco consegui empatizar com ela e com a sua dor. Uma mulher lúcida perante as fragilidades que não a permitem ser feliz nem conhecer o amor pleno. É tamanha a sua lucidez que vai sabe que precisa de mais e persegue aquilo que acha que pode conter a sua felicidade.

Espero que estas personagens conheçam outros caminhos, num lugar onde o número de  páginas não limite aquilo que podemos conhecer delas. 
Aproveitem para conhecer o trabalho da Célia. Se estão indecisos em pegar em obras mais extensas da autora, façam o download dos contos gratuitos da autora e vão ver que para além de não se arrependerem, irá nascer vós aquela curiosidade literária que vos atirará de forma compulsiva às palavras e às estórias que a Célia decidiu partilhar connosco.

2 comentários:

  1. Olá Silvana,
    Curiosamente da Célia só li os dois contos e adorei a escrita e quero mesmo muito ler os 4 livros dela.
    Como gostaste do conto recomendo-te o livro Doida Não e Não de Manuela Gonzaga. É a biografia da Maria Adelaide, a mulher em que a Célia se inspirou! Li-o no início deste ano e adorei!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tita,

      Bem, da Célia li os contos, o livro "O funeral da nossa mãe" e, como beta o livro "Uma mulher respeitável".
      A escrita da Célia é soberba. Ela tem um dom para as palavras e uma forma muito especial de nos contar as histórias.
      Obrigada por essa recomendação. Tenho de ver se arranjo o livro.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!