terça-feira, 22 de março de 2016

A propósito do dia Mundial da Poesia


Ontem assinalou-se o Dia Mundial da Poesia, mas não consegui vir aqui para vos deixar um poema e assinalar o dia. 
Eu gosto muito de poesia... Gosto de ler, de analisar, de tentar ver o que está para além das palavras impressas na folha ou que nos aparecem no ecrã de um computador.

Hoje trago-vos um poema especial. Um poema que marca o início de uma amizade que espero que seja boa e longa. Em finais de 2014 comecei a contactar com uma rapariga por causa de um projeto de investigação. Esta relação começou por ser profissional, mas o desenvolvimento da vida acabou por nos fazer apoiar uma outra, ajudar... E desde meados do ano passado que olho para a C. como amiga. Uma pessoa especial que me tem dado imenso apoio e que eu tenho muito gosto em ajudar sempre que ela precisa. 

O ano passado, numa altura em que andava particularmente em baixo e em que a C. passava por uma fase algo atribulado por diversas vezes falamos ao telemóvel na tentativa de nos alegramos e arranjarmos coragem para ultrapassar aquilo que estava menos bem. Num desses telefonemas, esta minha amiga partilhou comigo que tinha um poema que ela lia todos os dias para a ajudar a ganhar força e enfrentar o dia-a-dia. E decidiu-o partilhar comigo nessa altura. 


            Recomeça....
            Se puderes
            Sem angústia
            E sem pressa.
            E os passos que deres,
            Nesse caminho duro
            Do futuro
            Dá-os em liberdade.
            Enquanto não alcances
            Não descanses.
            De nenhum fruto queiras só metade.

            E, nunca saciado,
            Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
            Sempre a sonhar e vendo
            O logro da aventura.
            És homem, não te esqueças!
            Só é tua a loucura
            Onde, com lucidez, te reconheças...

            Miguel Torga TORGA, M., Diário XIII

Este ano decidi colocar este poema na primeira página da minha agenda. E sempre que me sinto mais angustiada ou sem esperança leio este poema. Afina, todos os dias são dias para recomeçar...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!