sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Opinião | Rosas


Rosas

Autora: Leila Meacham
Ano: 2010
Número de páginas: 582 páginas
Classificação: 5 Estrelas
Sinopse: Aqui

Opinião
Rosas é um livro para ficar guardado no coração. Tive de entregá-lo na biblioteca e já sinto saudades dele. É mais um daqueles livros que preenchem cada espacinho do meu coração.

Este livro traz-nos uma saga de famílias cujos destinos se cruzam ao longo dos anos. Toliver, Warwick e DuMont são famílias de negócios que muito contribuem para a fundação e desenvolvimento da cidade onde vivem.
Os Toliver são uma família que se dedica à produção de algodão. Quando o patriarca da família morre, deixa todas as suas propriedades à sua filha mais nova Mary. Este testamento abala toda a estrutura familiar porque seria de esperar que fosse a esposa a herdar tudo. Mary é uma jovem cheia de força e à medida que eu assistia ao seu crescimento aprendi a admirá-la apesar de, muitas vezes, me ter apetecido dar-lhe um estalo para ver se ela deixava de ser tão racional. Eu conseguia compreender a racionalidade dela, mas ficava sempre com o coração apertado com a forma com que ela reagia ao Percy Warwick, o homem que preenchia, preenche e sempre preencheu o lugar mais especial do seu coração. Eu fiquei extremamente enternecida com a história de amor entre Percy e Mary. Foi tudo tão delicado, misterioso e com muitos sentimentos à mistura que é impossível não ficar envolvida e rendida.
A amizade de Percy e Ollie (DuMont) foi outro aspecto que mexeu com as minhas emoções. Já aqui referi algumas vezes o respeito e os sentimentos que as amizades despertam em mim e o quanto eu as valorizo. Olhar para Percy e Ollie é olhar para o que de melhor oferece uma boa amizade. Foi tão intenso que olho para Ollie com a maior das admirações  e respeito. Sem dúvida seria alguém com que gostaria de me cruzar.

A narração dedicada ao passado destas famílias ocupa grande parte do livro. É uma história tão intensa e envolvente, cheia de voltas e contravoltas, que me atingiram os sentimentos e me deixaram completamente envolvida com as personagens e os seus dramas. Quando cheguei à parte que nos conta a história mais recente das família, nomeadamente a vida da 3ª geração, eu senti uma quebra na intensidade emocional que até então tinha sentido. Acabei por não me sentir tão ligada às novas personagens, porém gostei da forma como as coisas foram evoluindo.

Destaco, também pela positiva, os apontamentos históricos que fazem parte do livro. Acrescentam valor e realismo à história. 

Como poder ver pela minha opinião, foi um livro que me emocionou. Ri, chorei, zanguei-me, revoltei-me, mas, no fim, fica o sentimento de que os finais felizes podem assumir diferentes tonalidades. Não precisam de ser todos cor-de-rosa e repletos de corações. Os finais felizes podem ter alguns apontamentos de tristeza e melancolia, em que apesar de tudo as pessoas conseguem avançar na vida.

Quando ganhar o euromilhões vou adquirir o livro para a minha estante para que eu o possa ler sempre que assim o desejar.

4 comentários:

  1. Uau.... Da maneira como descreveste tudo fiquei super curiosa e parece mesmo fazer o meu género de leitura! Vai já para a lista de livros para futuras leituras! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É lindo o livro, Liliana! Um dia quero rele-lo. É intenso, emocionante... É muito ao estilo da Lesley!! Eu também acho que vais gostar. Fico à espera da tua opinião. :)

      Eliminar
    2. Pois, fiquei com impressão que era do estilo dela :D
      A minha biblioteca não o tem, mas hei-de arranjar maneira de o ler. Há certos livros que só aparecem para os lermos numa determinada altura, quando é o momento certo....
      Pelo menos é o que já me aconteceu e eu espero que aconteça :)

      Eliminar
    3. Talvez seja mesmo isso, os livros aparecem no momento em que os devemos ler :).
      Eu li da biblioteca, se o tivesse emprestava-to. :(

      Ele há-de andar por aí e há-de chegar até ti.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!