domingo, 30 de agosto de 2015

Opinião | As cinquenta sombras mais negras (Fifty Shades #2)


As Cinquenta Sombras Mais Negras (Fifty Shades, #2)

Autora: E. L. James
Ano: 2012
Número de páginas: 576 páginas
Classificação: 1 Estrelas
Sinopse: Aqui

Opinião
Sempre pensei que a qualidade dos livros de um escritor fossem melhorando à medida que o escritor fosse escrevendo. E. L. James veio mostrar-me o inverso.
Achei este livro pior do que o anterior por diversos motivos. Anastasia regrediu em termos de personalidade (nunca pensei que tal coisa fosse possível). Sempre que li sobre as atitudes dela via uma adolescente de 15 anos a quem foi dada uma novidade aliciante. Não é uma mulher inteligente, muito menos desafiante e misteriosa ou com capacidades para despertar o interesse nos outros. É tão oca e vazia que em mim apenas despertou indiferença. 

Pensei que a autoria iria criar mais suspense e mais história no início do livro, tendo em conta o final do livro anterior. Aquilo que eu esperava era um afastamento mais significativo e longo de Anastasia e Grey. Mas o afastamento ocupou meia dúzia de parágrafos chorosos e pouco convincentes. Os neurónios de Anastasia transformaram-se em células dependentes de actividade sexual proporcionada pelo seu "cinquenta sombras" e por isso não aguentou muitas horas consigo mesma. Ou seja, estamos perante uma personagem vazia, sem interesses abrangentes e que não consegue evoluir em termos cognitivos.

Este livro veio confirmar um sentimento que desenvolvi no livro anterior: a revolta perante o pouco talento da escritora. Mr. Grey é uma personagem com uma personalidade bastante complexa e que se bem desenvolvida e explorada poderia tornar o livro bem mais interessante. A autora é muito superficial na abordagem dos detalhes e das explicações para aquilo em que Grey se tornou. É rudimentar na construção de todas as dimensões que compões esta complexa personalidade. E é uma pena que estes aspectos não tenham sido desenvolvidos de forma profissional. É triste ver que a autora preferiu reduzir o livro à descrição de umas quantas cenas de sexo, com ou sem sadomasoquismo, e deixou esquecidas todas as outras componentes que poderiam dar muito mais ao livro.

É um livro muito fácil de ler. Não exige grandes reflexões ou divagações. Não se constitui como uma leitura intelectualmente estimulante, aspecto que muitos leitores procuram nos livros. É apenas um livro que nos permite esvaziar a mente dos problemas e preocupações diárias e que daqui a uns dias mal nos lembramos. 

4 comentários:

  1. Eu não vou ler essa saga, simplesmente porque de momento, como já mencionei nas minhas Crónicas de uma Leitora Compulsiva, de momento só leio em inglês e essa saga tem erros gramaticais e até ortográficos lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá C.
      Acredita que não perdes muito! Isto é um livro que entretém, mas não nos preenche enquanto leitores sedentos de histórias complexas e dinâmicas, com personagens tridimensionais que nos fazem pensar, descobrir lugares novos...
      Deste já não me lembro muito bem do texto, mas estou neste momento a ler o 3º e a tradução está mazinha e tem muitas gralhas.
      Boas leituras.
      Silvana

      Eliminar
  2. Concordo contigo.
    Ainda tentei dar uma oportunidade ao terceiro livro, mas não consegui passar do primeiro capítulo.
    Completamente vazio de conteúdo e pior que os anteriores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou neste momento a ler o terceiro. Já que comecei, vou até ao fim... Mas este 3º é o pior de todos os três livros. É completamente pornográfico. Dá para rir, pelo menos. Tem coisas tão absurdas que me dá para rir... Já não é mau :)

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!