segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Retalhos de uma leitura conjunta | Questões parte 4


1. O que achas das conversas imaginárias que as personagens têm em momentos críticos?
Na minha opinião, estas conversas imaginárias ajudam a clarificar o pensamento das personagens e possibilitam-nos a nós leitores conhecer um bocadinho mais sobre o mundo interior das mesmas. Considero que, por vezes, a Carina exagera um bocadinho neste tipo de conversas, assim como perde algum tempo a descrever-nos os pensamentos das personagens. Não desgosto deste estilo de escrita, acho que neste livro em particular até estão bem enquadradas. Porém, acho que é uma característica da Carina que ela tem de começar a controlar um bocadinho para não deixar os leitores um pouco aborrecidos. Mas sei que ela anda a melhorar isso, e falo com conhecimento de causa.

2. Dizem muitas vezes que inconscientemente escolhemos os homens mais parecidos como os nossos pais. Achas que foi o que se passou com a Clara?
Talvez! Não posso afirmá-lo com certezas, mas acho que é uma possibilidade. E para Clara, Hugo constituía o mesmo desafio que o pai. Se por um lado ela tinha consciência que com 16 anos não conseguiria fazer nada contra o pai, com Hugo pensava que dando-lhe o seu amor e o seu corpo o poderia transformar numa pessoa melhor. E em todos os anos em que ela esteve com Hugo, o seu grande objectivo era fazê-lo mudar por ela e para ela. Mas as mudanças nas pessoas não acontecem desta forma, e ela apanhou com valentes "baldes de água fria" que a ajudaram a aprender algumas coisas, mas não a esquecer Hugo. Conscientemente, ela acredita que por debaixo daquela capa de mau, Hugo poderia guardar alguma coisa boa.

3. A Tatiana diz que a Clara e o Santiago são dois estranhos a viver na mesma casa, partilhas da mesma opinião?
Sim, acho que a Tatiana tem um pouco de razão. Clara nunca conseguiu entregar-se totalmente a Santiago. Nunca lhe revelou uma parte da sua alma, parte essa que continuava agarrada a um passado. Por outro lado, Santiago sempre se mostrou como um "nice boy", fazendo-lhe as vontades e transformando tudo à sua volta numa bola de sabão colorida e cheia de amor e alegria que tornava a vida daquele casal num mundo cor-de-rosa. Porém, Santiago nunca conheceu o lado negro da Clara e de um passado duro e que deixou marcas. E Clara nunca conheceu um Santiago capaz de ir à luta por ela, nunca lhe ouviu o tom mais áspero e a pequena brutalidade que permanecia adormecida dentro dele. Por isso, acho que esta visita do passado vai ajudá-los a conhecerem-se e construir um mundo mais realista e não num mundo cor-de-rosa cheio de silêncios e segredos marcantes. 

Leitura conjunta com a Marta do blog I only have do livro A sombra de um passado de Carina Rosa.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!