quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: O Filho das Sombras
Juliet Marillier

Mas se não podíamos confiar, ficávamos sós, porque nem a amizade, nem a sociedade, nem a família, nem a aliança, podiam existir sem confiança. Sem ela ficávamos dispersos, à  mercê dos quatro ventos, sem nada a que nos agarrarmos.


Ali podia olhar para as chamas e sonhar, porque há alturas em que os sonhos são mais seguros do que a vida real.

Eu sei os perigos que corro. Estou armada contra eles. E a minha arma é o amor, pai. Não procuro fazer com que estas feridas desapareçam, como se nunca tivessem existido. Sei muito bem que ele há-de, sempre, transportar as cicatrizes. Não posso fazer com que o seu caminho passe a ser amplo e direito. Há-de haver sempre curvas, e lombas, e dificuldades. Mas posso segurar-lhe na mão e caminhar a seu lado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!