quinta-feira, 2 de outubro de 2014

[Opinião] Estarás aí?


Estarás aí?

Autor: Guillaume Musso
Ano: 2010
Editora: 11 X 17
Número de páginas: 332 páginas
Classificação: 4 Estrelas

Sinopse
São Francisco. Elliott, médico apaixonado, nunca se recompôs do desaparecimento de Ilena, a mulher que ele amava, morta há 30 anos. Um dia, uma situação extraordinária permite-lhe recuar no tempo e encontrar o jovem que ele era, há 30 anos atrás. Elliott regressa ao instante decisivo em que um gesto seu pode salvar Ilena e modificar o destino implacável que determinara a sua vida desde então.

Opinião
Estarás aí? é o primeiro livro que leio de Guillaume Musso, autor que eu desconhecia e do qual nunca tinha tido nenhuma informação. Como primeira experiência posso dizer que foi muito boa. Gostei da escrita, da imensa sensibilidade que o autor usa na abordagem dos diferentes acontecimentos e adorei o tom emocional que ele conseguiu oferecer às suas personagens e às suas vivências.

Elliot, Ilena, Matt e Angie são as personagem que dominam a narrativa. Cada uma delas tinha uma dimensão psicológica muito característica eu adorei-as pelas suas diferenças.
Elliot é cirurgião e carrega marcas de um passado familiar que torna o seu olhar diferente. Inesperadamente, cruza-se com Ilena e Matt. Ilena torna-se o grande amor da vida dele e Matt o seu melhor amigo. Havia imensas formas de o autor nos contar esta história e de nos apresentar os diferentes factos, mas ele escolhe uma via original: comprimidos que contemplam viagens no tempo e que permitem mudanças no decurso da vida de todos eles.
Há situações, principalmente no início, que parecem um pouco confusas, mas à medida que nos vamos envolvendo com a história as coisas ficam mais claras e facilmente entramos na dinâmica dos acontecimentos.

Confesso que tive de abandonar um pouco o meu lado racional para conseguir absorver o melhor que a história tem. É claro que as viagens no tempo e as mudanças na escolha do destino são aspectos impossíveis, daí também me sentir confusa no início. Ao mesmo tempo que o livro me criava uma certa confusão, também me deixava curiosa e fascinada. Eu sei que estou a ser contraditória, mas foi exactamente isto que senti. De entre todas as coisas que estão presentes, o que mais me deixou a pensar foi o facto de como pequenas escolha e pequenos acontecimentos podem transformar toda a trajectória de uma ou mais vidas. E aqui sim, é possível acontecer. O que o livro mostra é mesmo as diferentes alternativas que a vida das personagens podem tomar mudando um único aspecto do passado, que neste caso é a morte de Ilena.

De entre muitas coisas que gostei no livro, o romance entre Ilena e Elliot tem um papel de destaque. É um romance que parece tão real devido à sua boa construção. O autor consegue mostrar-nos duas pessoas com duas personalidades tão distintas mas que se conseguem encaixar de uma maneira que é difícil expressar por palavras. A diversidade de sentimentos que estes dois me ofereceram foi uma verdadeira montanha russa de emoções. E as páginas finais quase me levaram às lágrimas.

Há só um aspecto que ficou confuso para mim, No início, o Elliot está em missão e recebe os tais comprimidos que lhe permitem ir ao passado. Depois das viagens ao passado e das mudanças no destino no novo presente de Elliot nunca aparece um velho cambojiano, nem falam de missões nessa zona. Acho que o autor devia ter explicado este facto, introduzindo uma pequena explicação como por exemplo, o facto de ele não ter feito esta missão em particular por uma motivo especial.

Foi uma leitura muito boa e que me deixou com muita vontade de conhecer outras obras do escritor.
Esta leitura só foi possível devido à Denise do blog Quando se abre um livro que muito simpaticamente e generosamente me emprestou o livro. Muito Obrigada!!

2 comentários:

  1. Fico muito contente que tenhas gostado do livro :)
    Já sabes que terei todo o gosto em emprestar-me mais alguns livros meus, adoro as nossas partilhas!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :).
      Também adoro as nossas partilhas... Aliás acho que devíamos fazer uma cena engraçada com estas partilhas.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!