domingo, 21 de setembro de 2014

Retalhos de uma leitura conjunta


E chegou ao fim mais uma leitura conjunta!!! Por isso, estas são as últimas perguntas que eu e a Marta temos para responder. Mas não será o fim das nossas leituras conjuntas. Apanhamos-lhe o gosto e já temos mais planeadas.

1. Que te diz da pessoa Mr. Collins ao declarar a um pai que preferia que Lydia estivesse morta e não na situação em que se encontrava?
Tu sabes que eu até acho uma certa piada do Mr. Collins. No fundo, ele está a representar esta classe social e a mesquinhez que por vezes as pessoas ligadas à igreja alimentam. Esta atitude dele só revela isso mesmo, que é tão mesquinho que prefere agir de acordo com as boas condutas da sociedade, pensando nos escândalos e na forma como os outros reagirem a eles, do que olhar para as pessoas e olhar sensatamente para elas no sentido de as ajudar, me vez de prejudicar.

2. Elizabeth sempre se mostrou contra o preconceito de Mr. Darcy para com a sua família e sua baixa condição, mas diz-me como é que ela própria assume que quer viver uma vida em Pemberley "longe daquela sociedade tão pouco agradável a ambos."
Aquilo que responde à atitude de Elizabeth é o amor (Marta, acho que o teu rancor pela Elizabeth não te está a permitir ver o lado cor-de-rosa do romance). O que é certo é que Elizabeth se apaixonou por Mr. Darcy e quer viver com ele usufruindo da paz do jardim da casa dele! O amor faz esquecer muita coisa e ela passou a olhar para Mr. Darcy de maneira diferente, depois de ele ter feito o que fez pela irmã,

3. Qual foi a personagem que mais te surpreendeu em toda a história? E porquê?
Foi o Mr. Collins, porque muitas vezes tinha saídas muito bem pensadas por parte da escritora. Por muito que esperasse que ele fosse bom com a palavra, devido ao facto de ser pastor de uma igreja, ficava sempre surpreendida com a forma como ele usava as palavras em seu benefício, como forma de atacar os outros de uma forma subtil. Pronto, achei piada ao homem e assumiu um papel engraçado na história. 

4. Diz em que medida achas que o título se aplica nesta história.
O título aplica-se à história uma vez que o orgulho e o preconceito de muitas personagens limita a sua interacção. Se não vejamos, se o Mr. Darcy não tivesse aquela atitude inicial de preconceito para com Jane, não teria influenciado Mr. Bingley. Se a Elizabeth não fosse preconceituosa para com Mr. Darcy teria sido mais amável com ele e se não tivesse sido muito orgulhosa teria reconhecido o seu amor por ele mais cedo. 

Leitura conjunta com a Marta do blog I only have

3 comentários:

  1. Gostei das tuas respostas, mas rapariga nunca na vida pensei que ias dizer que o Mr. Collins te surpreendeu. Engraçado como eu odeio o homem e não liguei tanto às atitudes da Lydia por a achar uma miúda mimada e tresloucada. Enquanto tu nem podes ler sobre ela :D
    Mas discordo de ti na 2, Elizabeth desdenhou do pobre homem e afinal é igualzinha a ele, por muito que quisesse paz, ela assumiu que tem vergonha da família que têm. Não sei pareceu-me que critica a sociedade mas afinal deixou-se apanhar pela teia dela :S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que o Mr. Collins acaba por dar todo um novo colorido à história, porque ele sabe perfeitamente como é! São percepções e ainda bem que a temos diferentes, pelo menos este livro gerou mais discussão entre nós e eu gostei disso :).

      Eu percebo porque discordas, mas acho que sinceramente foi mesmo o amor que a levou a agir assim. E o amor cega um pouco a visão das pessoas.

      Olha gostei imenso desta nossa discussão e do facto de termos pontos de vista diferentes. Já agora, qual foi a personagem que te surpreendeu? Porquê?

      Eliminar
    2. Sim também estou a achar uma piada ao facto de termos mesmo ideias dispares, acho que a única coisa que nos é semelhante é acharmos que iria ser melhor do que foi na realidade :)

      O Mr. Darcy! Não pq tenha criado uma fantasia dele ou assim, mas tinha uma ideia dele completamente errada. Ele apenas fez um comentário e foi julgado por isso o livro todo. Vários fizeram pior e nem mereceram consideração...e pq percebi todas as suas razões, o livro nesse aspecto fá-lo brilhantemente. Ele pode ser orgulho mas é mais reservado, tímido, cauteloso, generoso e prudente, que má pessoa. Ele foi o mais incompreendido em toda a história :)

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!