sábado, 6 de setembro de 2014

[Opinião] O nó do amor


O Nó do Amor

Autor: Elizabeth Chadwick
Ano: 2010
Editora: Saída de Emergência
Número de páginas: 448 páginas
Classificação: 4 Estrelas

Sinopse
No verão de 1140, Oliver Pascal regressa de uma longa peregrinação para encontrar a Inglaterra devastada pela guerra civil. Entre os sobreviventes que encontra está um filho ilegítimo do rei e Catrin, a jovem aia do rapaz. Viúva, altiva e impetuosa, esta tem muito em comum com Oliver. E quando parece que o destino talvez os vá juntar, eis que ele é feito prisioneiro e Catrin descobre que o seu marido afinal não morreu em batalha. Mas será que ela quer voltar para ele? Um romance histórico apaixonante, onde Elizabeth Chadwick nos mostra que mesmo com os perigos de uma época violenta e as convulsões de uma guerra contínua, o amor pode nascer e sobreviver.

Opinião
O nó do amor foi mais uma das minhas "escolhas cegas" das estantes da biblioteca municipal. Não conhecia a autora, nem nunca tina lido nada sobre o livro. No fundo, era um verdadeiro desconhecido para mim. Agora, no fim da leitura, só me resta um verdadeiro sorriso de satisfação por ter dado uma oportunidade ao livro. Não restam quaisquer tipos de arrependimento por tê-lo trazido para casa. Tudo isto para dizer que gostei muito do livro.

Infelizmente não leio muitos romances históricos, mas dentro daqueles que já li, este é um dos meus preferidos. 
É com mestria que a autora nos apresenta os detalhes históricos que figuram no livro. Entrelaça acontecimentos, mostra-nos como tudo se processa e eu senti como se estivesse dentro do livro.
Não sei até que pontos os elementos históricos correspondem ao que verdadeiramente aconteceu. Eu sei muito pouco sobre a história da Inglaterra para saber se tudo aquilo que está presente no livro aconteceu verdadeiramente. Gostei dos detalhes das disputas que aconteceram pelo trono de Inglaterra e das confusões e reviravoltas que iam pautando os combates.

Paralelamente a este enredo histórico, desenvolve.se um romance com direito a  um triângulo amoroso. Os protagonistas deste triângulo são: Catrin, Oliver e Louis. Gostei de todos os eles! Cada um com as suas diferenças e características de personalidade torna tudo mais envolvente.

Catrin é uma personagem feminina que vou guardar por muito tempo na minha memória. Não é uma donzela com características que se enquadram no perfil típico das mulheres desta época. É uma mulher à frente da sua época. É valente, respondona, divertida, curiosa, profissional... Tem uma energia e uma personalidade que me marcaram. Nem sempre concordei com as escolhas que ela fez, mas com um certo distanciamento e e com algum nível de compreensão fazem algum sentido e são importantes para todo o desenvolvimento da narrativa e, acima tudo, para que Catrin possa descobrir o seu lugar e valorizá-lo de uma forma totalmente nova. Catrin está longe de ser uma rapariga fútil e que vive na inércia. Quer fazer algo de útil e é em Ethel que encontra as ferramentas necessárias para canalizar toda a sua energia e curiosidade.

À medida que Catrin vai aprendendo com Ethel, vai estabelecendo uma ligação com Oliver. Gostei, particularmente, da franqueza, bondade e correcção de Oliver. É um militar íntegro que aos meus olhos pareceu tão real, onde facilmente acedia ao seu lado bom, como no momento seguinte via o seu lado mais sombrio em acção. 
Catrin e Oliver brindam o leitor com momentos que apelam as mais variadas emoções. Foi fácil divertir-me com as picardias inicias, ao mesmo tempo que ficava emocionada com a solidez que o amor deles tomou.... Mas o destino é incerto e Catrin vê-se perante a sua escolha. O marido, que ela pensava morto, surge e ela tem de escolher entre Oliver e Louis.

Louis é uma espécie de vilão. E digo espécie, porque nem tudo nele é mau. É certo que o seu lado maldoso está mais evidenciado, mas de uma forma fugaz chega a brindar-nos com alguma bondade. É um homem que gosta do luxo e do prazer, acima de tudo. O final desta personagem conseguiu surpreender-me. De acordo com a personalidade dele, não esperava que tal acontecesse daquela forma.

Por fim, quero apenas destacar que achei o final desta história ligeiramente apressado. Depois de um início tão detalhado fiquei um pouco desiludida ver que a autora apressou a narração dos acontecimentos, principalmente depois de um acontecimento de extra importância para Catrin e Oliver. Apesar desta minha pequena desilusão com o final fiquei com vontade de ler mais obras da autora. 

2 comentários:

  1. Boa:) Fiquei com ainda mais vontade de o começar a ler. Ainda por cima eu gosto muito de romances históricos
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho quase a certeza que vais gostar deste. Fico à espera de uma opinião tua. Olha é um bom livro para a Maratona!!
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!