segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Monday Madness #4


1. Hoje começou como uma manhã normal de Segunda-feira, até que...
... uma fada de tons brilhantes se materializa à minha frente. É uma fada vestida de branco e com asas translucidas e repletas de pequenos diamantes brancos. Estava perdida! Vinda do mundo dos sonhos, do sonho de uma criança que estava em perigo e que ela todas as noites visitava para lhe dar algum conforto e mostrar-lhe pequenos momentos de felicidade. Queria saber como voltar para lá, tinha um sonho para ajudar a terminar, caso contrário o dia dessa criança seria terrível. Peço-lhe para se focar na criança e me contar aquilo que ela mais gosta nela. E então, os olhos cinzentos da fada começam a brilhar no mesmo momento em que ela perde no amor que sente pela aquela criança e quando menos espera, desvanecesse no céu deixando um pouco de pó das estrelas para trás. E então eu acordo!! Era apenas um sonho onde um fada apareceu para iluminar os pesadelos das últimas noites.


2. Como é que descreves uma pessoa que tem tudo o que alguém alguma vez poderia desejar?
Simplesmente não descrevo!! Somos pessoas insatisfeitas, por isso por mais perfeitas que fossemos iria faltar sempre alguma coisa.


3. Houve um acidente terrível. Acordas numa cama de hospital, sozinha e com nada à tua volta - nada de postais, flores, nada que diga o porquê de estares no hospital - excepto um espelho. Atrever-te-ias a olhar-te no espelho?
Sim, queria ver-me ao espelho. Queria ver o estado em que fiquei, nomeadamente ver o grau do estrago. 

4. Um dia acordas num colete de forças, a ser levada para um asilo. Como é que provas a tua sanidade? O que é que os guardas e os psiquiatras dizem que tu fizeste?
Acabava de terminar o meu ritual espiritual quando entram pela sala a dentro. Colocaram-me um colete e acusaram-me de andar a influência e dominar pessoas para entrar numa comunidade espiritual com regras pouco legais. Baseiam-se em testemunhos de vizinhos e elementos dessa própria comunidade. Procuro explicar aos psiquiatras e aos guardar que apenas estava a fazer meditação e que a meditação é o meu ritual espiritual diário. Exijo-lhes um interrogatório completo para se aperceberem que eu não fazia a mínima a ideia do que estavam a falar. Quando fico presa na sala de interrogatório e olhos para os documentos vejo a fotografia da pessoa que procuram. Para grande azar meu é uma sósia. Bem, vai ser difícil provar a minha sanidade mental, mas não vou desistir. 

5. O que é que adoras ou detestas acerca de cozinhar?
Eu gosto muito de cozinhar e gosto da liberdade criativa que a cozinha nos oferece. Gosto de fazer de tudo, mas tenho uma queda especial para doces e sobremesas. Sou muito organizada a cozinhar e irrita-me quando estou numa cozinha onde as pessoas não são assim tão organizadas. Eu vou lavando e arrumando a loiça à medida que vou usando, e faço o mesmo com os utensílios. Assim, no final, posso desfrutar da minha refeição de modo sossegado, sem me preocupar com a pilha de coisas que tenho para arrumar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!