domingo, 24 de agosto de 2014

Por entre mundos diversos (3)







Um olhar pela diferença...

Bem vindo à Holanda (Emily Perl Knisley)




Já há muito tempo que não fazia esta rubrica... Por vezes é difícil arranjar inspiração e vontade para escrever. Como forma de a inaugurar neste novo lugar decidi pegar num tema diferente dos livros. Como escrevi quando apresentei esta nova rubrica, ela seria aberta a todo o tipo de temas, sendo assim hoje quis partilhar com vocês um texto que gostei muito de ler e de me ter cruzado com ele. 

O texto é uma metáfora acerca da paternidade/maternidade experiência por pais e mãe de filhos com deficiência. Esta forma de Emily Perl Knisley tocar num ponto tão sensível está muito bem conseguida. De facto, quando os casais pensam em ter um filho só imaginam a perfeição... Só planeiam a sua maravilhosa viagem à Itália! Mas o destino nem sempre é congruente com aquilo que queremos e leva-nos por caminhos que nunca esperamos e assim se chega à Holanda e aos filhos "especiais". Filhos estes que exigem uma nova adaptação e uma nova forma de olhar para tudo o que é preciso viver. É importante aprender a viver na Holanda para aproveitar tudo aquilo de bom que ela nos tem para oferecer. As crianças "especiais" podem ser uma verdadeira fonte de emoção, basta aprendermos a lidar com elas e a apreciar as pequenas conquistas. 

Penso que este texto poderá ser também uma metáfora da forma como nós encaramos a nossa própria vida... Por vezes ficamos deprimidos e frustrados por não conseguir lidar com o facto de não atingirmos determinado objectivo que nos esquecemos de apreciar aquilo que temos no momento presente... A vida é um lugar constante de aprendizagem, neste sentido em cada situação, cabe-nos a nós aprender a viver qualquer que seja o lugar onde o nosso avião da vida decida aterrar.

Espero que gostem tanto do texto como eu. 

*********************************************************************************

Bem vindo à Holanda (Emily Perl Knisley)

Frequentemente sou solicitada a descrever a experiência de dar à luz uma criança com deficiência - uma tentativa de ajudar pessoas que não têm com quem compartilhar essa experiência única, a entendê-la e imaginar como é vivenciá-la. 

Seria como ... 
Ter um bebé é como planear uma fabulosa viagem de férias para a Itália! Compramos uma mão cheia de livros sobre o país e a as cidades que vamos visitar e começamos a traçar os nossos planos: o Coliseu em Roma; a Capela Sistina e Michelangelo; os canais e as gôndolas de Veneza. Você pode aprender algumas frases simples em italiano. É tudo muito excitante. 

Após meses de longa espera, eis finalmente chegado o grande dia!

Você faz as malas e parte de avião. Algumas horas mais tarde o avião faz-se ao aeroporto e aterra. A hospedeira comunica pelo altifalante:

- "Seja bem vindo à HOLANDA!" 

"HOLANDA!?! " diz você - "O que quer dizer com Holanda?? Eu planei uma viagem a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda minha vida eu sonhei em ir a Itália". 

Mas houve uma mudança no plano de vôo. Eles aterraram na Holanda e é lá que você deve ficar. A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente. 

Logo, você deve sair e comprar novos guias do país e das suas cidades. Deve aprender uma nova língua. 

E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes e que nunca pensaria conhecer. 

É apenas um lugar diferente. É mais pacato que a Itália, menos vistoso que a Itália. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas depois de lá estar por um bocado de tempo e de recuperar a respiração daquela notícia inesperada, olha a sua a volta e... 

Começa a reparar que a Holanda tem imensos e bonitos moinhos de vento...
... que a Holanda tem túlipas.

A Holanda até tem quadros de Rembrandt e Van Gogh!

Mas todos aqueles que você conhece estão atarefadíssimos a ir e vir de Itália...
... e todos comentam o tempo maravilhoso que lá passam.

E por toda a sua vida você dirá : 

"- Sim, era aí que era suposto ter ido. Era isso que eu tinha planeado."

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora... porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.

Porém... se você passar o resto da sua vida remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais... sobre a Holanda.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!