sábado, 5 de julho de 2014

TAG | Colorindo a Literatura


Esta TAG foi criada pela Mistery do blog The Mistery´s Garden.
Ela decidiu que eu era digna de responder à sua criação e nomeou-me para tal feito (espero estar à altura). Muito obrigada Mistery!

Esta tag está dividida em duas partes:

  • Na primeira parte responde-se a 10 pergunta associadas a 10 cores; 
  • Na segunda parte tira-se uma foto de 10 livros com as lombadas da mesma cor que as 10 cores da primeira parte. Não é obrigatório fotografar 10 livros se não houver na estante livros de todas as cores mencionadas.
1ª PARTE


Vermelho - A cor da paixão: Um livro com um romance arrebatador, de tirar o fôlego, e/ou com um romance que adoras.

São tantos os livros que conseguiria encaixar nesta categoria. Romances de tirar o fôlego que nos deixam com saudades quando terminamos a leitura. Bem, um dos que tenho imensas saudades é Jogo de Mãos de Nora Roberts. Foi o livro que me deixou rendida a autora e onde ela consegui reunir elementos que nos fazem devorar o livro. 

Laranja - A cor quente: Um livro cuja acção se passa no Verão ou numa praia, à beira-mar, etc.
Bem para este vou escolher uma leitura recente que ao início me deixou um pouco apreensiva, mas com o avançar da leitura percebi o porquê da boa classificação no goodreads. Falo do livro Sozinhos na Ilha de Tracy Gravis Grave. É um livro em que grande parte da acção decorre numa ilha deserta e paradisíaca, portanto adequa-se na perfeição a esta categoria. 


Amarelo - A cor mais alegre de todas: Um livro cujos protagonistas ou algumas das personagens secundárias mais importantes são crianças.
Eu aqui colocaria qualquer livro da Torey Hayden... Ela possui a mestria necessária para me dar histórias com crianças que me deixam completamente fixada ao livro... Absorve-me a atenção e as emoções. Como pede crianças (plural) vou escolher o livro, que segundo a minha memória, aparecem referenciadas mais crianças. O livro a que me refiro é A Força dos Afectos.

Verde - A cor da Natureza: Um livro ideal para se ler ao ar livre.
Dias de Ouro de Jude Deveraux. É daqueles livros leves, com um bom romance e diálogos deliciosos com um toque de provocação e humor. É a minha leitura actual e estou a adorar.


Azul - A cor fria: Um livro cuja acção decorre numa época fria e/ou um livro cujo autor não mede as palavras e que tenha uma escrita crua e capaz de ferir o leitor (responder a uma ou às duas é opcional).

Para esta categoria vou escolher O grande amor da minha vida de Paullina Simons. Grande parte da acção deste livro decore no Inverno e contém descrições muito boas da Inverno Russo.
O Grande Amor da Minha Vida (O Cavaleiro de Bronze, #1)

Roxo - A cor da magia: Um elemento de fantasia característico de um mundo literário que gostas (pode-se escolher outro mundo, como distopia, se nunca tiver lido fantasia)
Adoro a magia e os segredos da floresta de Sevenwaters. Fiquei rendida a Juliet Marillier e aos encantos daquela floresta cheia de mistério. 


Lilás - A cor da imaginação: Um livro - ou livros - cuja imaginação do autor não revela limites.

Poderia indicar aqui muito autores, mas vou  indicar Sophia de Mello Breyner Andresen. Os seus contos infantis são das coisas mais bonitas que já li. Uma imaginação muito boa, geradora de criar histórias que encantam crianças, jovens e adultos.
 
Este foi o primeiro livro que li da autora e que me deixou presa às palavras dela.


Cor-de-Rosa - A cor mais doce: Um romance leve e divertido.
Amor à primeira vista de Catherine Anderson
Amor à Primeira Vista



Preto - A cor negra, a ausência de luz: Um livro que aborda um tema pesado ou um livro muito escuro.
Dezanove Minutos de Jodi Picoult. É um livro duro de ler, que aborda questões delicadas e bastante pesadas. Porém é um excelente livro. 

Branco - A cor clara, a presença de luz: Um livro com um final feliz que te agradou ou não.
Um longo caminho para casa de Danielle Steel. Depois daquilo que a Gabrielle passou merecia um pouco de luz na sua vida.
Um Longo Caminho Para Casa

2ª PARTE


Nunca me esqueças - Lesley Pearse
Orgulho e Preconceito - Jane Austen
O outro amor da vida dele - Dorothy Koomson
Dias de ouro - Jude Deveraux
Ana Karenina - Leão Tolstoi 
O grande amor da minha vida - Paullina Simons
O espião português - Nuno Nepomuceno
Um estranho caso de culpa - Harlan Coben
À beira do lago dos encantos - Maria Alberta Menéres 
Dei-te o melhor de mim - Nicholas Sparks

4 comentários:

  1. Quero muito ler esse livro da autora Nora Roberts. Tenho saudades dos seus romances.
    Nunca li nada de Jude Deveraux. O que me podes dizer da autora?
    Confesso que são das poucas pessoas que não é lá grande fã de Sophia de Mello Breyner. :(
    Gostei da pilha e das respostas! :D
    Beijinhos!
    *Mistery

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que gostes Mistery... O livro é muito bom, dos melhores que li de Nora Roberts :)

      Jude Deveraux é uma escritora que eu comecei a ler por acaso. O primeiro livro não me cativou assim muito. O livro foi "Alguém para amar". Depois li "Jardim de Alfazema" e gostei muito. Este que está aqui é o terceiro livro que leio e cada vez gosto mais. Ela entrelaça elementos históricos, romance divertido e boas personagens. Há quem não goste e ache os livros dela maus... Eu não penso assim.
      Não deste as obras dela no ensino básico? Eu fiquei fã nessa altura, mais tarde, no secundário, apaixonei-me pela poesia dela.
      Obrigada.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Li algumas obras dela e alguns poemas e não me cativa. :( Acho que até tenho vergonha em dizer isto. Quero ler "A Fada Oriana" porque a história interessa-me, mas do que li desta autora não achei nada de mágico. :(
      *Mistery

      Eliminar
    3. Não tens de ter vergonha, Mistery. Ou gostamos ou não gostamos... E isso não deve ser julgado pelos outros. Sabes acho que os professores também interferem um pouco nos nossos gostos e na forma como olhamos para alguns autores. O meu professor de Português era um apaixonado por literatura. No 12º ano andamos um pouco mais focados na poesia de Sophia, porque como ela tinha falecido um ano antes o professor desconfiava que no exame de Português B (na altura havia diferença e como eu era de científico-natural era Português B) sairia algo da autora como forma de homenagem. E tal aconteceu, o texto era um poema da autora :). Acho que ainda podes vir a gostar, por vezes tudo depende da forma como olhamos para as coisas... Boas leituras!

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!