quinta-feira, 26 de junho de 2014

[Opinião] O Intruso


O Intruso

Autor: Carina Rosa
Ano: 2012
Editora: Chiado Editora
Número de páginas: 190 páginas
Classificação: 2 Estrelas

Sinopse
Sara é uma mulher deprimida e atormentada por um passado trágico. A casa que outrora pensara ser um refúgio contra as lembranças de uma vida que desejava esquecer, é agora um antro de sombras que a perseguem.
O reencontro com Martim, um rosto que lhe é de alguma forma familiar, de um passado longínquo, provoca-lhe uma avalanche de sentimentos que poderão mudar a sua vida para sempre. Mas o passado nunca poderá ser apagado e Sara vê-se obrigada a tomar decisões que podem fazer a derradeira diferença ente a vida e a morte.
Poderá Martim salvá-la de uma realidade que foge ao seu alcance? Ou poderá afundá-la ainda mais naquele poço sem fundo, em que não há saída possível, senão a morte?

Opinião
O Intruso foi o primeiro livro publicado pela a autora Carina Rosa e é o 4º que leio da autora. O facto de ter começado por ler os livros mais recentes permite-me ter uma noção bem clara do quanto a Carina já evoluiu. Posso dizer que se nota uma boa evolução na sua escrita, na forma como descreve os acontecimentos e na forma como dá corpo às personagens. 

Relativamente a este livro, quero referir que gostei da ideia que serve de base à construção da história. Porém, a forma como essa ideia foi operacionalizada deixou-me insatisfeita.
O que faltou?

Personagens
  • Melhor caracterização emocional das personagens. 
  • Clarificação das relações estabelecidas (mais diálogos e mais situações de interacção).
Narrativa
  • Melhor exploração dos acontecimentos - há situações descritas no livro que deveriam ter sido mais exploradas. Acontecia tudo demasiado depressa que não deixava tempo para que as personagens crescessem e para que o leitor se sentisse mais envolvido com tudo aquilo que o livro nos tem para oferecer.
  • As analepses aparecem de uma forma que, por vezes, deixa o leitor um pouco confuso.
  • Incongruências temporais - no final do livro dá a sensação que o presente da Sara é diferente do Martim, ou seja, na mesma altura um está num mês enquanto que o outro já está num outro mês, mas a autora dá a sensação que os dois estão no mesmo "espaço" temporal.
Apesar destes pequenos pormenores, é um leitura agradável e que consegue prender o leitor à escrita e à história. Consegue manter o curiosidade no leitor em relação a uma explicação para tudo aquilo o que faz com que se avance rápido na leitura.
Relativamente ao final foi diferente daquele que eu tinha pensado, mas gostei e fiquei curiosa por saber mais. Carina, nunca pensaste em dar continuidade ao livro? 

2 comentários:

  1. Obrigada pela opinião, Silvana! Tenho pena que não tenhas gostado mais, mas também é o meu primeiro e sei que posso fazer muito melhor! Obrigada por continuares a apostar em mim e por me ajudares sempre a melhorar! Quanto à continuação, não sei. Tenho outros projectos por agora, mas a ideia da história sempre me prendeu. Quem sabe um dia? :)

    ResponderEliminar
  2. Não há nada para agradecer, Carina! É por saber que fazes melhor que não gostei mais do Intruso... Tenho a certeza que a cada livro que escrevas as coisas serão melhores! Não duvides de ti, nem daquilo que és capaz.
    Espero por esse dia, mas só depois de dares largas a esses projectos. Estou ansiosa pelas mudanças n' "O Escultor". Confesso que sinto uma espécie de formigueiro nos dedos para começar a ajudar-te :). Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!