sexta-feira, 20 de junho de 2014

[Opinião] Cartas da Nossa Paixão


Cartas da Nossa Paixão

Autor: Karen Kingsbury
Ano: 2013
Editora: Topseller
Número de páginas: 320 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
Um romance belo e sofrido que prova que as histórias de amor merecem o milagre de uma segunda oportunidade. Ellie Tucker e Nolan Cook são mais do que amigos.
Apesar de terem apenas quinze anos, ele repete-lhe constantemente que ela nunca irá encontrar alguém que a ame tanto. Mas uma tragédia familiar obriga Ellie partir subitamente. Na véspera desse dia triste, ela e Nolan sentam-se sob o velho carvalho do parque onde partilharam tantos momentos felizes e escrevem uma carta um ao outro, que enterram numa caixa de metal enferrujado. Combinam regressar exatamente onze anos depois, e lerem em conjunto as duas cartas. Passaram os anos e os dois nunca mais se encontraram. Ellie tem hoje vinte e seis anos e é mãe solteira, lutando diariamente para sustentar a sua filha. Nolan conseguiu realizar o sonho de se tornar jogador de basquetebol e é uma famosa estrela da NBA. Mas desde o dia em que o pai sucumbiu a um ataque cardíaco, Nolan sofre com a solidão. Afogado num oceano de dor, pensa frequentemente em Ellie, a paixão da adolescência que nunca esqueceu, e na inocência da infância que partilharam. À medida que se aproxima a data, Ellie e Nolan sonham com o reencontro sob o velho carvalho. Mas será que, onze anos depois, ainda há alguma hipótese de serem felizes?

Opinião
Li este livro em dois dias. Sim, tenho lido compulsivamente desde domingo (4 de Junho) e penso que esta minha "fome" pela leitura se deve ao facto de, durante mais de dois meses não ter terminado um único livro físico e ter lido muito pouco nos últimos tempos.
Esta minha abstinência literária fez-me desejar ler um dos géneros que mais gosto, Romance Contemporâneo, e atacar o livro como se não houvesse amanhã. E assim foi!

Cartas da nossa paixão é o primeiro livro que leio da autora Karen Kingsbury e se por um lado fiquei com vontade de ler outros livros da autora, houve um aspecto do livro que me deixou com reservas. Irão perceber quando eu apontar os aspectos negativos do livro.

O livro começa com a adolescência de Ellie e Nolan. Dois adolescentes que partilham uma bonita amizade. Uma amizade que é mais do que isso. Confesso que este amor que nasce da amizade, do companheirismo, da partilha me encanta muito mais do que as paixões instantâneas produzidas por um primeiro encontro, originando o tão falado amor à primeira vista. Pessoalmente, não me faz muito sentido porque, para mim, para se amar outra pessoa ter de haver um certo grau de partilha. Bem... passando ao livro, estes dois jovens vêem a sua amizade interrompida devido a uma tragédia familiar e são obrigados a afastar-se. Na sua última noite juntes decidem escrever uma carta um ao outro, enterrá-las num lugar especial para ambos e combinaram lê-las daí a onze anos. E assim começa uma verdadeira aventura de separação que irá culminar de uma maneira especial.

Gostei da Ellie e do Nolan. Os anos e as circunstâncias tornaram-nos pessoas diferentes, mas o elo que os unia manteve-se firme e o leitor consegue sentir isso. É fácil nos apaixonar-mos pela história, é fácil sentirmos o peso das saudades que consomem Ellie e Nolan, é fácil nos deixarmos invadir pela emoção que vai acompanhando a evolução diária das personagens. Porém, a autora abusa nas referência religiosas e acaba por atribuir a Deus a responsabilidade de tudo aquilo que as personagens vivem. Confesso que isto me irritou um pouco ao longo do livro. Por vezes, dava  a sensação que as personagens não tinham vontade própria e que tudo se iria resolver pelas mãos de Deus.

Ao longo do livro ansiei pelo reencontro entre Ellie e Nolan (ainda fui espreitando umas páginas à frente para tentar descobrir o que se ia passar), mas não foi tão intenso como eu esperava. Eu estava à espera de um pouco mais de emoção no reencontro, mais diálogo, mais silêncios partilhados. Foi apressado! A autora não deixou espaço para que as emoções de um reencontro tão esperado surgissem.

Foi uma leitura agradável, mas pouco marcante. Sinto que daqui há algum tempo me vou esquecer da história.

Deixem-se invadir pelas palavras e boas leituras! 

2 comentários:

  1. Interessei-me! Sou capaz de um dia o ler.
    Gostei de ler a opinião!
    Beijinhos!
    *Mistery

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Mistery :)
      Espero que gostes do livro. Fico a aguardar uma opinião tua, lá no teu cantinho!
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!