terça-feira, 3 de junho de 2014

Especial Criança | Top Ten de crianças literárias



Mais uma vez decidi fazer um Top Ten com um tema diferente daquele que está no site. Como queria algo relacionado com as crianças, decidi falar aqui das crianças literárias que me cruzei e que me marcaram.
Espero que gostem e caso queiram sintam-se à vontade para fazer o vosso Top Ten. Quem decidir responder, gostaria que me deixassem o link aqui nos comentários para ir ver/conhecer as vossas crianças literárias.

Sem qualquer ordem em específico, apresento-vos as minhas crianças literárias.

Sheila dos livros A criança que não queria falar e A menina que nunca chorava de Torey Hayden
A Criança Que Não Queria FalarA Menina que Nunca Chorava

Tanto para dizer sobre esta menina. É uma história um pouco triste e que nos leva ao lado mais escuro da infância. Fiquei extremamente emocionada com esta menina e com a força de espírito que ela demonstrou. Todas as crianças que nos são apresentadas pela Torey são especiais. Este foi a primeira que eu "conheci" e por isso irá ficar marcada na minha memória.

Tegan do livro A filha da minha melhor amiga de Dorothy Koomson
A Filha da Minha Melhor Amiga
Com a Tegan ri e chorei. Uma menina que vê a sua vida alterada e com novos desafios pela frente. Penso que Kamrym aprendeu imenso com ela.

Hannah do livro Silver Bay-A Baía do Desejo de Jojo Moyes
Silver Bay - A Baía do Desejo
O que mais gostei na Hannah foi a sua sensibilidade e forma estóica como lidou com as suas próprias dores e os seus próprios medos.

Anne Frank do livro Diário de Anne Frank
Diário de Anne Frank

Anne Frank estava numa fase de desenvolvimento mais próxima da pré-adolescência/adolescência, mas penso que a posso enquadrar aqui também. Anne cativa qualquer leitor pela sua força de viver, pela lucidez de espírito que nas piores circunstâncias nunca a deixou. Um verdadeiro exemplo de coragem. 

Peter do livro Dezanove Minutos de Jodi Picoult 
Dezanove Minutos
Peter deixou-me com um enorme nó na garganta. Todo o processo de crescimento de Peter me deixou tremendamente emocionada com tudo aquilo que ele teve de lidar. Não é uma história fácil e penso que é dos poucos livros em que o leitor se emociona com o "mau da fita". Peter tem uma dimensão psicológica que não me deixou indiferente. Aliás foi impossível ler este livro sem usar as lentes de psicóloga (é inevitável) e olhar para o Peter para lá dos acontecimentos do livro. Um livro que toda a gente devia ler.

Liesel e Rudy do livro A Rapariga que Roubava livros de Markus Zuzak 
A Rapariga Que Roubava Livros
Estas duas crianças são demasiado encantadores para passarem despercebidas ao leitor. São a pura inocência em tempos difíceis. Uma história linda.

Gabrielle do livro Um longo caminho para casa de Danielle Steel
Um Longo Caminho Para Casa
Ao longo do livro, assistimos ao crescimento de Gabrielle, desde a infância até à idade adulta. Os primeiros capítulos, onde conhecemos a Gabrielle enquanto criança são de uma violência emocional terrível. Mexe-nos com os nervos e a vontade é saltar para dentro do livro e fazer alguma coisa por esta pequena criança.

Poppy Carlisle e Serena Gorringe do livro Um erro inocente de Dorothy Koomson
Um Erro Inocente
Infelizmente já não me recordo de todos os pormenores deste livro, mas sempre me ficou na memória a forma como estas adolescentes foram manipuladas, a forma suja como foram influenciadas. 

6 comentários:

  1. Não conheço 3, mas ... vou conhecer ^_^ Gostei do TOP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que seja um feliz encontro :)
      Obrigada :). Quando der, faz um teu :)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Desses livros apenas li os de Dorothy Koomson ("Um Erro Inocente" foi a minha penúltima leitura antes da atual), mas já conhecia algumas dessas crianças. Quero muito ler alguns desses livros. :)
    Beijinhos!
    *Mistery

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que gostes dos livros que ainda te faltam ler.
      Por curiosidade fui ler a tua opinião ao livro "Um erro inocente". Eu já o li há bastante tempo, mas partilho dos teus sentimentos. Não é fácil criar ligações com as personagens. Para mim foi uma leitura estranha e que se arrastou. Eu só li dois livros da autora. Este tinha sido o segundo, enquanto que o primeiro foi "A filha da minha melhor amiga". Adorei-o o primeiro e depois este segundo livro não teve o mesmo impacto em mim. Mas tenho cá em casa mais livros da autora para ler....
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Que TTT tão giro :)

    É raro que alguma criança me marque nos livros, aliás, de momento não me recordo de nenhuma mesmo! Da tua lista apenas li os Dezanove Minutos (e tu bem sabes o quanto esse livro me diz, portanto não podia estar mais de acordo contigo) e o de Anne Frank... que concordo mais ou menos :)

    Beijinhos e que continuem a vir os especiais ^^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Nádia!
      Bem eu confesso que tenho um pouco olhos de lince para crianças e personagens em geral. Lool acho que é um pouco o lado profissional a entrar em acção. Eu gosto de crianças, em particular de trabalhar com elas em sessões de psicoterapia. Daí quando ler o livro ir sempre à procura de algo que me possa cativar. Os livros são uma grande fonte de inspiração. Infelizmente agora não trabalho, mas muitas vezes foi a ler sobre estas crianças que tive de ideias para trabalhar com as "minhas" crianças.
      Acho que é uma questão de nos inclinar-mos para determinados aspectos.

      Beijinhos e obrigada

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!