quarta-feira, 2 de abril de 2014

[Opinião] A Pirata


A Pirata

Autor: Hugo N. Gerstl
Ano: 2008
Editora: Editorial Estampa
Número de páginas: 304 páginas
Classificação: 1 Estrelas

Sinopse
De alguma forma contrariando tradições arreigadas, Grace O'Malley despontaria como líder incontestada nas querelas que a opuseram aos baronatos locais, numa primeira fase, e posteriormente à própria Inglaterra. Mulher de armas, viu no mar, desde criança, o destino que lhe granjearia tanto a fortuna como as suas maiores provações, a menor das quais não teria sido a prisão a que seria submetida, antes mesmo de comparecer perante a rainha inglesa, com quem estabelece uma amizade cúmplice. Num cenário narrativo que integra alguns dos quadros históricos que envolvem as casas reais tanto de França como de Espanha, assim como breves períodos em Portugal, este romance atravessa a vida de uma mulher líder de uma frota à vez mercantil e pirata, que no final da vida seria reabilitada pela monarca dos ingleses, então já mais seguros do domínio que exercitam sobre uma Irlanda aplacada mas nunca submetida...

Opinião
Este é daqueles livros sobre quem tenho pouco a escrever. Foi uma leitura um pouco aborrecida e em que andei sempre à procura de momentos altos que me fizessem gostar um pouco mais do livro.

Estava à espera de mais conteúdo, porém este livro foi demasiado superficial e confuso. Parte de uma boa ideia, mas não a desenvolve em conformidade. A personagem feminina, Grace, é-nos apresentada como uma mulher forte e lutadora. Isso nota-se à medida que o livro vai avançado, porém falta-lhe mais emoção e mais detalhes. Faltou-lhe a alma e o carisma que tornam estas personagens inesquecíveis. Não achei que a narrativa fosse envolvente e cativante e isso reflectiu-se no tempo que gastei a ler este livro. 

O que é que eu gostava de ter visto desenvolvido no livro?
  • Abordar com mais pormenor as relações afectivas e familiares de Grace. Por vezes chegava-me a esquecer que ela tinha filhos.
  • A existência de uma espécie de glossário/mapa dos clãs que habitavam a Irlanda. Facilmente me perdia na narrativa sem saber quem é que era inimigo de quem, sem saber que relação havia entre aquelas pessoas todas e a posição que ocupavam.
  • Reduzir o número de descrições dos combates e investidas no mar. Chegava a dar-me sono estes combates, porque muitas vezes não entendia quem estava contra quem, quais os motivos, qual o sentido de tais combates.
  • [Início Spoiler] Gostava de ter visto mais da relação entre Grace e a rainha Isabel da Inglaterra. Foi um porto mal explorado pelo autor. Dá-nos a conhecer pouco desta que teria sido uma relação fantástica e cheia de nuances especiais. [Fim Spoiler]
  • A forma como o livro terminou não está concordante com a forma que iniciou. Penso que fazia mais sentido concluir a forma como começou e depois fazer um Epílogo com o final que nos foi apresentado.
  • Mais detalhe histórico e mais descrições das fantásticas terras da Irlanda.
Uma das coisas que gostei no livro foram as descrições de Portugal e da Irlanda. Fizeram-me viajar a outros lugares e a outras épocas.

Boas leituras e deixem-se invadir pelas palavras.

4 comentários:

  1. Eu queria ler este livro, mas se calhar agora vou dar prioridade a outros :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nádia, é apenas uma opinião! Tu até podes gostar :)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá,

    A minha carteira agradece o teu comentário :D

    Espero que a próxima seja melhor :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      Isto é apenas uma opinião. Tu até podes gostar :).

      Já li um livro a seguir a este que não foi nada bom. Mas agora comecei Anna Karenina e estou a gostar.

      Bjs

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!