segunda-feira, 24 de março de 2014

Monday Madness #1

Vi esta rubrica no blog da Eu e o Bam e achei-a tão engraçada que pensei ser uma boa ideia começar a fazê-la aqui no blog também. Só me resta esperar que gostem.
Devem, também, espreitar as respostas da Nádia que estão muito engraçadas. 

1. Escreve sobre um dia que queres esquecer.
Já tive vários dias para esquecer... Mas como gosto de cumprir as coisas à regra já estão esquecidos e enterrados num passado que não é para ser recordado. Sendo, assim, não tenho nada para escrever aqui. 

2. Que personagem de um livro gostarias de conhecer e porquê?
Só uma é complicado. São tantas as personagens que ficamos a "conhecer" no glorioso mundo da literatura que aquilo que mais queríamos é que se tornassem reais para podermos falar e interagir com elas.
Sendo assim, como só posso escolher uma, escolheria (e para variar um bocadinho) a Sorcha dos livros A filha da floresta e O filho das sombras de Juliet Marillier e assim aprender com ela os misteriosos segredos das plantas e das florestas. Admirei a Sorcha! É uma personagem feminina forte e que me inspira serenidade e sabedoria. Tenho a certeza que iria passar bons momentos com ela.

3. Acordas numa cama de hospital, sozinha, impotente e confusa, com mais nada à tua volta - nada de postais, flores, nada que diga o porquê de estares no hospital - excepto um espelho. Atrever-te-ias a olhar-te no espelho?
Pessoalmente, não gosto muito de espelhos. E, por estranho que pareça, evito-os. Mas, estando nestas condições olharia no espelho para ver em que estado estava. 

4. Ao brincar no corredor um dia, os teus filhos sem querer vão contra o relógio do teu avô, que está na família há anos. Ao cair no chão, encontras uma nota dentro, escrita pelo teu bisavô, que morreu dois meses depois de teres nascido. Estranhamente, a nota é endereçada a ti.

Para a minha primeira bisneta.

Querida bisneta,

Nunca quis morrer sem ter oportunidade de conhecer a minha primeira bisneta. Felizmente, cumpriram com os meus desejos e há pouco mais de um mês tive a oportunidade de olhar para ti. Uma bebé cheia de força de viver. Senti-me realizado e foi como se um pouco da tua vida viesse ao meu encontro e me desse forças para aguentar esta fase final da minha vida.
Não sei em que altura da tua vida poderás estar a ler isto (até te pode parecer algo estranho), mas qualquer que seja a altura, espero que a felicidade tenha sido uma amiga constante na tua vida. Escrevo-te para te falar deste relógio. É um objecto com um valor sentimental muito grande para mim. Foi uma prenda da tua bisavó, o grande amor da minha vida. Quero que o guardes com carinho e que aprecies a passagem do tempo da melhor forma possível. És tudo que decides o que queres fazer da tua vida, és tu que tens o poder de mexer no teu destino à medida que as horas sucedem a dias, os dias sucedem a meses, e os meses sucedem a anos. Olha para este relógio como o símbolo do amor, da felicidade e da vida. Guarda-o com todo o amor. Não te sei dizer porquê, mas tenho a certeza que tu serás a única a dar o devido valor a este objecto.

Muitos beijinhos e até um dia, 
Do teu bisavô Edgar. 


5. Imagina que te recordas dos momentos logo após o teu nascimento, e descreve o que vês usando o presente.
É Outubro e despertei para o mundo. Olho para todos os lados e só vejo coisas demasiado estranhas à minha volta. Estava à espera que o mundo fosse mais luminoso. Será isto o que vou ver daqui por diante. Ainda sinto o meu rabo a arder da palmada que aquele extraterrestre me deu... Só me apetece voltar para o sossego da barriga da minha mãe. E por falar em  mãe, onde é que ele está. Ah! Está ali deitada, a dormir... A dormir?!! Como é que pode ser... Eu tenho fome, quem me vai dar de comer? Decididamente, este mundo é demasiado estranho. Mãaaaaeeeeee, será que é possível acordares e arranjares-me de novo um espacinho aí dentro?

6 comentários:

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!