domingo, 2 de fevereiro de 2014

[Opinião] A Rapariga que inventou um sonho


A Rapariga que Inventou um Sonho

Autora: Haruki Murakami
Ano: 2008
Editora: Casa das Letras
Número de páginas: 424 páginas
Classificação: 2 Estrelas

Sinopse
Em A Rapariga que Inventou Um Sonho, o autor do best-seller Kafka à Beira-Mar envolve a fantasia com a mais natural das realidades. Do surreal ao mundano, estas histórias exibem a sua habilidade de transformar o curso da experiência humana na mais pura e surpreendente arte literária.
Há corvos animados, macacos criminosos, um homem de gelo… Há sonhos que nos moldam e coisas que sempre sonhámos ter… Há reuniões em Itália, um exílio romântico na Grécia, umas férias no Havai… Há personagens que se confrontam com perdas dolorosas, outras que se deparam com distâncias inultrapassáveis entre os que querem estar o mais próximo possível.
Quase todas as histórias são melancólicas, com personagens submersas pela solidão. Murakami junta os seus temas favoritos: os acontecimentos inexplicáveis (o tal toque de fantástico que provoca por vezes a sua inclusão na corrente do realismo fantástico), as coincidências, o jazz, os pássaros e os gatos. Tal como foi escrito no Los Angeles Times Book Reviey, "Murakami abraça o fantástico e o real, cada um com a mesma envolvência de intensidade e luminosidade."

Opinião
Andava há já muito tempo com vontade de ler Haruki Murakami. Foram várias as pessoas a indicarem-me o autor alegando o facto de ele ter histórias fantásticas. Então, lá fui eu à biblioteca e deparei-me com A rapariga que inventou um sonho na prateleira dos destaques. O titulo chamou-me à atenção e aliado ao ao facto de querer conhecer o autor, decidi trazer o livro. 

Infelizmente, não posso dizer que o livro me arrebatou nem que fiquei fã do autor. Foi uma leitura complicada, pois tive imensa dificuldade em criar uma ligação ao livro assim como em identificar-me com o tipo de histórias que Murakami oferece aos seus leitores. 

A Rapariga que Inventou um Sonho é um livro que reúne um conjunto de 24 contos. E nestes 24 só dois me captaram a atenção: Tony Takitani e A baía de Hanalei. São dois contos que abordam a questão da morte de pessoas que nos são queridas. Ambos estãp construídos de uma forma simples, mas nem por isso deixam de apelar às nossas emoções.

Em relação aos restantes, posso dizer que grande parte deles são estranhos. Têm conteúdos difíceis de assimilar. Nesta categoria dos estranhos destaco o último conto que foi deverás surreal. 

No geral, posso dizer que o autor recorre a uma escrita muito metafórica. É algo que, normalmente, gosto mas neste caso, por vezes não consegui alcançar o seu real significado. 

Boas leituras e deixem-se invadir pelas palavras.




6 comentários:

  1. Este autor (autora?) nuncame chamou a atencao, sinceramente e com esta tua opiniao mais de pe atras fico

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é um autor (mas tal como tu, em relação a estes nomes nunca fiando). Foi uma leitura estranha. Disseram-me que ele tinha uma escrita fantástica, mas no meu caso não achei.
      Se alguma vez tiveres oportunidade e disponibilidade para ler Murakami experimenta e retira as tuas próprias conclusões. Apesar de nunca te ter chamado a atenção até podes gostar. Eu ainda vou dar outra oportunidade, desta vez vou procurar não ler um livro de contos.

      Eliminar
  2. Hm experimenta 1Q84. São três livros compriditos mas a história vale a pena. Eu este que leste não conheço, por isso nem posso dizer se concordo ou não com a tua review, mas sim, é um escritor muito metafórico e cujas histórias parecem, por vezes, demasiado estranhas, mas é bom e tem obras muito interessantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela indicação, Ana. Ainda vou dar mais uma oportunidade ao autor, não sei é ainda qual o livro e quando.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Murakami é o meu autor preferido dos últimos tempos. Li esse livro o ano passado e gostei muito, apesar de achar que ele tem outros livros bastante melhores (isto porque não sou muito fã de livros com pequenos contos, prefiro uma única história que dê tempo para nos relacionarmos com as personagens). Experimenta Kafka à Beira Mar, foi o livro que me fez apaixonar por este autor :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário! Vou ver se ganho coragem para experimentar "Kafka à Beira Mar" num futuro próximo. Eu achei estranha a escrita dele e custou identificar-me com as personagens!
      Obrigada pela sugestão :)

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!