segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Gritos do Passado (Patrik Hedström #2) [Opinião]


Gritos do Passado (Patrik Hedström, #2)

Autor: Camila Läckberg
Ano: 2010
Editora: Dom Quixote
Número de Páginas: 430 páginas
Classificação: 4 Estrelas

Sinopse
Numa manhã de um Verão particularmente quente, um rapazinho brinca nas rochas em Fjällbacka - o pequeno porto turístico onde decorreu a acção de A Princesa de Gelo - quando se depara com o cadáver de uma mulher. A polícia confirma rapidamente que se tratou de um crime, mas o caso complica-se com a descoberta, no mesmo sítio de dois esqueletos. O inspector Patrick Hedström é encarregado da investigação naquele período estival em que o incidente poderia fazer fugir os turistas, mas, sem testemunhas, sem elementos determinantes, a polícia não pode fazer mais do que esperar os resultados das análises dos serviços especiais. Entretanto, Erica Falk, nas últimas semanas de gravidez, decide ajudar Patrick pesquisando informações na biblioteca local e novas revelações começam a dar forma ao quadro: os esqueletos são certamente de duas jovens desaparecidas há mais de vinte anos, Mona e Siv. Volta assim à ribalta a família Hult, cujo patriarca, Ephraim, magnetizava as multidões acompanhado dos dois filhos, os pequenos Gabriel e Johannes, dotados de poderes curativos. Depois dessa época, e de um estranho suicídio, a família dividiu-se em dois ramos que agora se odeiam.

Opinião
Depois de ter lido o primeiro livro desta série estava com muita vontade de ler este segundo volume. Fiquei com algumas questões pendentes no final da leitura do primeiro livro e queria ver se encontrava as respostas neste. O facto é que as encontrei, porém não foi da forma que esperava.

Tal como o livro anterior, o crime, os suspeitos, as teorias elaboradas em torno de tudo o que diz respeito à situação criminal são elementos muito bons. Estão bem desenvolvidos e conseguem prender o leitor. Camilla apresenta-nos uma família cheia de "esqueletos no armário", com segredos que querem manter escondidos de forma a não perturbar a paz idílica que cada um pensa que vive. Esta falsa paz só é vivida por um parte da família, uma vez que há outra para quem os erros do passado ainda torna a vida presente um fardo pesado de levar.
Os avanços e recuos ao longo da investigação podem parecer confusos, mas no final tudo se mostra claro e compreensível. Na minha opinião, é este o aspecto que contribui para um maior envolvimento na história. 

Onde é que autora voltou a não criar tanto impacto? Nas relações das pessoas que não estão directamente envolvidas com a cena do crime. Erica e Patrik continuam a precisar de diálogos mais profundos, mais ainda devido ao espaço temporal que separa este segundo livro da série do primeiro. Foram várias as coisas que aconteceram na relação deles que ficaram camufladas. Falta interacção, falta diálogo sobre a relação.
O mesmo aconteceu com Anne (irmã de Erica). Tudo muito superficial, pouca abordagem ao nível da vida sentimental e pessoal de Anne. Acrescenta a isto, o facto de assuntos do primeiro livro não terem ficado devidamente esclarecidos.  

Um aspecto que gostei bastante foi a introdução das vivências de outros elementos da polícia. Já tinha surgido alguma coisa no outro livro, mas neste torna-se mais evidente. Fiquei triste com o facto da relação ente Martin e Pia não ter evoluído. Espero que no livro seguinte eles se entendam.

Gostei do final e apesar de o criminoso ser óbvio devido aos contornos que a narrativa vai assumindo (atenção deixa-nos confusos, mas o responsável está mesmo à frente dos nossos olhos), as motivações e tudo o que está por detrás do óbvio está muito bem construído. 
O final apressado de Erica e Patrick, assim como de algumas personagens da família Hult e da própria irmã de Erica é que não me convenceram. Veremos o que o próximo livro nos reserva.

Quero apenas referir que estes livros podem ler-se de forma independente. Talvez seja por isso que a autora não aprofunda as relações das personagens fixas. Assim, é mais fácil construir a narrativa e ajuda o leitor a acompanhar melhor os livros.

Deixem-se invadir pelas palavras e boas leituras.

6 comentários:

  1. Para o ano tenho de ler o que tenho cá por casa:) Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tenho a certeza que vais gostar. Entre os dois é difícil de escolher, mas gostei um bocadinho mais do livro "A Princesa de Gelo". Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá,

    Um género que já fui havido leitor e que ultimamente pouco tenho lido, a trilogia Millenium foi a última coisa que li. Mas gosto imenso, em especial da mestre Agatha Cristie, que nos proporciona sempre boas leituras.

    Quanta a esta escritora já tinha lido bons comentários e fiquei ainda mais curioso, bom cometário ;)

    Bjs e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      Eu sou uma grande consumidora de policiais :).

      Espero que gostes. Obrigado.

      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
  3. Comprei-o recentemente, em 2014 vou lê-lo de certeza, já tenho saudades desta autora :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, eu acho que mostraste ;)
      Boas leituras. Vale a pena a leitura, mas a autora volta a seguir o caminho do primeiro. Isto deixou-me um pouco frustrada.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!