sexta-feira, 26 de julho de 2013

Borboleta de Papel [Opinião]


A Borboleta de Papel

Autor: Diane Wei Liang
Ano: 2008
Editora: Bizâncio
Número de páginas: 214
Classificação: 2 Estrelas

Livro ganho no primeiro Buzz Literário do blog A wonderful world  da Elizabete Cruz e a quem desde já agradeço!

Sinopse
A detective Mei Wang, que já conhecemos de O Olho de Jade, debate-se com a gestão da sua agência de investigação numa China onde os detectives privados estão proibidos de exercer. Chamada a esclarecer o desaparecimento de uma deslumbrante cantora pop, Kaili, as diligências transportam-na dos bairros elegantes de Pequim para as velhas ruelas — hutongs — que ainda existem nos limites da cidade com as suas ancestrais tradições e superstições. Aí, Mei, dá por si, não apenas à procura de Kaili, mas também no rasto de uma frágil borboleta de papel que encontrou no apartamento da cantora. À medida que se aproxima o desfecho do caso, torna-se claro que a verdade nem sempre é libertadora e, quando o corpo de Kaili é encontrado, o assassino revela laços com o passado que obrigam Mei a enfrentar alguns dos seus demónios pessoais e reflectir sobre a história de um país que lida mal com os seus fantasmas.

Opinião
Este livro era uma verdadeira incógnita, uma vez que não tinha qualquer referência sobre ele. Nunca me tinha cruzado com ele e também não conhecia a autora. O próprio espaço onde a acção se desenrola foi novo para mim. Nunca tinha lido nenhum livro que tivesse como pano de fundo a China e a cultura Oriental,

China oferece-me emoções contraditórias. Se por um lado adoraria conhecer um país tão diferente do nosso, por outro o choque cultural assusta-me. Um pouco da cultura do país aparece retratado no livro e é impossível sentirmo-nos indiferentes àquilo que vamos lendo.

É um livro que nos proporciona uma leitura satisfatória. Penso que a trama e as personagens são aspectos que podiam ter sido mais desenvolvidos. A ideia que serve de base à construção da narrativa é bastante boa e do meu interesse, mas foi pouco esmiuçada. Os assuntos deviam ter sido esgotados e sente-se a necessidade da presença de outros acontecimentos de forma a tornarem o livro mais interessante.

Apesar de não ser um livro extraordinário o final conseguiu surpreender-me. Não estava à espera que as coisas evoluíssem no sentido que evoluíram. Na minha cabeça tinha projectado outro final. Porém gostei deste e fez todo o sentido no contexto geral do livro.

Deixem-se invadir pelas palavras!
Boas leituras.
Silvana 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!