domingo, 30 de junho de 2013

Por detrás da tela | Antes do Amanhecer e Antes do Anoitecer

Já há algum tempo que estes dois filmes me despertavam a atenção. Tinha lido criticas positivas a ambos, mas não quis criar muitas expectativas.

Estes dois filmes fazem parte de uma trilogia de filmes em que o terceiro saiu muito recentemente no cinema. 

Relativamente ao Antes do Anoitecer, este traz-nos a história de dois jovens que se conhecem num comboio que vai passando por algumas cidades europeias. Celine segue para Paris e Jesse para Viena. Inesperadamente começam a conversar algo que se vai criando entre eles. É um amor à primeira vista. Eu não gosto muito quando as coisas se desenvolvem muito rapidamente. Acho um pouco irreal que uma atracção ocorra de forma imediata (talvez excepto a atracção física). Quando Jesse chega ao seu destino, Viena, convida Celine a passar a noite com ela. Celina aceita (aqui está a parte aventureira da jovem) e passam uma noite que os vai marcar por muitos anos. 
Apesar da rapidez com que as coisas acontecem, os autores conseguem transparecer um interesse mútuo genuíno. O espectador consegue sentir uma certa química entre as personagens. 
Gostei muito dos diálogos e das reflexões que ambos fazem ao longo do filme. São interessantes e captam a nossa atenção. No fundo, o espectador vai passeando com eles pela noite dentro ao longo das ruas de Viena ao mesmo tempo que conhecemos um pouco da essência destas duas personagens.

Em Antes do Anoitecer, o segundo filme deste trilogia, a acção decorrem em Paris. Jesse escreve um livro e vai fazer uma apresentação a Paris. É aqui que, nove anos depois Jesse e Celine se voltam a encontrar. 
Gostei muito da parte inicial do filme e da forma como ambos reagem ao reencontro. Depois as coisas tornam-se um pouco mais aborrecidas. Na minha opinião os diálogos e as reflexões não foram tão bem conseguidos como no primeiro filme. Apesar de, tal como no primeiro, estes diálogos se focarem nas suas vidas, nas suas crenças, nas paixões, nas desilusões e nos sonhos tal não me atingiu com a mesma intensidade do primeiro filme. Pareciam mais vazios... Contudo, na fase final do filme as coisas melhoraram bastante e a catarse de Celine enquanto Jesse a acompanhava a casa foi muito boa. 
Considero que este segundo filme é mais realista que o primeiro e a forma como terminou foi bastante bem conseguida no sentido de criar a ligação para o último filme assim como deixar as coisas um pouco em aberto. 

Nunca tinha visto nenhum filme com estes actores. Confesso que gostei bastante das suas interpretações, principalmente da Julie Deply no seu papel de Celine. 

Estou um pouco curiosa em relação ao terceiro e último filme que retracta a vida de Celine e Jesse enquanto casal na faixa etária dos 40 anos e enquanto pais de gémeas.  

Deixem-se invadir pelas imagens.
Silvana

2 comentários:

  1. Também nunca vi nenhum dos filmes. Nunca me despertaram a atenção. Mas agora que li a tua review até fiquei com vontade de lhes dar uma oportunidade. Talvez faça uma maratona dos 3 filmes:) Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, espero que gostes :).
      São filmes fáceis de ver. É muita conversa. Acho que dá a sensação, para quem vê o filme, de estar sentado num banco de um jardim e ver um casal agradável e bem disposto a conversar.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!