segunda-feira, 15 de abril de 2013

Por detrás do autor | Liliana Lavado


Podemos dizer que têm sido grandes dias. Depois de muitas lutas travadas, de muito esforço e de muita dedicação, a Liliana Lavado conseguiu que um dos seus magníficos livros voasse em direcção das prateleiras deste país para que todos pudessem desfrutar de uns bons momentos na companhia das brilhantes histórias desta autora.

Como a Liliana é uma pessoa muito simpática concordou em ceder um pouco do seu tempo para responder às perguntas desta que é a primeira entrevista do Por detrás das palavras. Obrigada Liliana!

1.     Imagina um diálogo entre duas pessoas com o teu livro na mão e uma delas pergunta quem é a Liliana Lavado. O que é que gostarias que a outra pessoa respondesse?
A Liliana é a autora do livro “Inverno de Sombras. Ela começou por auto-publicar os seus livros e com a ajuda de Leitores-Beta e blogues que a foram acompanhando conseguiu que uma editora ficasse interessada em a publicar. Ainda bem que ainda se publicam novos autores portugueses.

2.   Escrever foi algo que sempre te atravessou o espírito? Como surgiu esse desejo de escrever?
Nunca pensei em escrever. Aliás a minha estreia nas leituras foi muito tardia e nada usual.
Há quem tenha a sorte de saber desde sempre o que quer fazer, outras tropeçam na resposta. Eu costumo descrever a escrita como “o meu tropeção”.

3.   A publicação do livro Inverno de Sombras foi o culminar de uma enorme luta que evolveu o teu projecto de leitores-beta. Queres falar um bocadinho deste projecto e indicar em que medida em que ele contribuiu para a realização do teu sonho.
Sem dúvida que os leitores-beta foram o factor-chave para a publicação.
Eles não tiveram misericórdia em apontar-me os meus erros e sempre foram incansáveis no apoio. São um grupo de pessoas muito especiais com quem tive o privilégio de me cruzar e que, um ano e meio depois, continuam comigo até hoje.

4.   Com certeza que esperaste por esta semana muito tempo. Como foi gerir com a ansiedade e as expectativas que este acontecimento despoletou?
A espera (felizmente) não foi longa. A editora Marcador revelou-se muito dinâmica desde o primeiro contacto e a publicação apenas levou quatro meses, o que em tempo editorial é um piscar de olhos.
Mas é claro que a ansiedade de saber qual seria a reacção do mercado ao livro ainda continua...

5.    Inverno de Sombras é um livro com uma narrativa muito bem estrutura e com uma enorme capacidade de prender os leitores. Queres partilhar a(s) tua(s) fonte(s) de inspiração para a construção deste livro?
Eu escrevi este livro ao longo de um ano e a história foi mais ou menos construindo-se a si mesma. A minha inspiração para o escrever foi Lisboa. Eu tinha em mente desde o inicio certos momentos do livro que se iriam passar em sítios icónicos como o Chiado, o Tejo e o Castelo de S. Jorge e as personagens foram crescendo aos poucos por “elas mesmas”.

6.    O que é que foi mais fácil e qual foi o teu maior obstáculo no processo de escrita deste livro?
O mais fácil foram os cenários. Eu vivia em Lisboa e passava pelos sítios onde se estava a passar toda a acção e era fácil conseguir detalhes que a tornavam real.
O mais difícil foi quase no final do livro... quando existiam tantas personagens envolvidas na história e cada uma delas com os seus próprios interesses e cada uma merecedora de um final emocionante. Confesso que existiram alturas em que duvidei que fosse possível terminar este livro.

7.   Podemos inserir o livro Inverno de Sombras na categoria fantasia. O que é que te fascina neste género literário?
Liberdade.
Quando integramos elementos não sujeitos às leis da natureza, há uma liberdade cativante para desafiar a linha de intriga e surpreender o leitor.

8. O Inverno de Sombras tem personagens muito fortes. Como foi o processo de construção dessas personagens?
Todas as personagens foram crescendo “diálogo a diálogo”. Para mim não existem personagens mais ou menos importantes, existem apenas uma diferença no tempo em que cada uma tem disponível para se dar a conhecer. De cada vez que elas têm espaço na página, elas têm de existir da forma mais real possível para o leitor e têm de conseguir fazê-lo sentir o que elas sentem.

9.  O sucesso deste livro no seio dos leitores beta levou-te por caminhos que não pensavas embarcar, nomeadamente a criação de uma sequela. Como está a correr esta nova fase?
É verdade, a sequela para o “Inverno de Sombras” não estava nos meus planos (pelo menos nos próximos 2 anos) mas a reacção dos leitores-beta à Andrea e ao Claude foi tão entusiástica que não resisti a dar prioridade ao segundo livro: “Fantasmas de Pedra”.
Neste momento a primeira versão do livro já está escrita. Não foi fácil escrevê-lo porque neste livro há um regresso ao mesmo tempo de história do “Inverno de Sombras” com a procura pela Caixa, mas toda a acção é agora na perspectiva da Andrea e do Claude. O equilíbrio entre o que “já existia” e o “tudo de novo” foi um enorme desafio.

10.  O que é que poderias dizer aos leitores para aumentar a curiosidade deles em relação ao Inverno de Sombras e levá-los a uma procura compulsiva pelo teu livro.
“Inverno de Sombras” é um livro de fantasia até para quem não gosta do género. Os leitores vão encontrar uma aventura em forma de caça ao tesouro, recheada de mistérios e surpresas vividas por um conjunto de personagens inesquecíveis.
Depois de o lerem, nunca mais vão olhar o “Mosteiro do Jerónimos” da mesma forma.


Sobre a autora:
Liliana Lavado é uma jovem escritora que na semana passada se apresentou aos seus leitores através da publicação do seu primeiro livro Inverno de Sombras pela editora Marcador.
É licenciada em Gestão de Marketing pelo IPAM, com uma especialização em Strategic Marketing in Action pelo IMD na Suíça. Viveu em Lisboa durante 7 anos e, actualmente, vive na Suíça. A sua carreira profissional tem passado pelas áreas de logística e de marketing operacional em diferentes multinacionais como a Nespresso.
É natural de Estarreja e o seu amor pelas palavras e pela escrita, em particular, surgiu quando frequentava a faculdade e depois de muitas visitas às livrarias em que não conseguia encontrar um livro com uma história que lhe prendesse o olhar. Perante este obstáculo, Liliana pensou que o melhor seria ela mesmo criar os seus mundos e as suas personagens entregando-se à escrita.





8 comentários:

  1. Gostei tanto desta entrevista :)
    Parabéns e um grande beijinho** às duas!

    Liliana, foste a estreia desta menina blogger *.* fantástico! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Ivonne, és uma querida :)
      Mas o grande destaque deixo para a Liliana!!
      Beijinhos :)

      Eliminar
    2. Claro :) ela bem merece! Gostei muito da entrevista.
      Boas respostas, especialmente na primeira :)

      Srs. da Marcador e do Tempo, despachem-se e editem o segundo por favor *__*

      Eliminar
    3. Sim :)... Esperamos que seja para breve!

      Eliminar
  2. Sim, eu tenho uma tendência a querer ser a primeira a experimentar coisas boas :D
    Parabéns Silvana, as perguntas é que fizeram a boa entrevista :D

    ResponderEliminar
  3. PARABÉNS às duas pela entrevista porque realmente as perguntas foram "out of the box" e as respostas acompanharam!!!
    Boas leituras!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!