sexta-feira, 12 de abril de 2013

Poetic Dreams

A mulher

Ó Mulher! Como és fraca e como és forte!
Como saber ser doce e desgraçada!
Como sabes fingir quando em teu peito
A tua alma se estorce amargurada!

Quantas morrem saudosa de uma imagem.
Adorada que amaram doidamente!
Quantas e quantas almas endoidecem
Enquanto a boca rir alegremente!

Quanta paixão e amor às vezes têm
Sem nunca o confessarem a ninguém
Doce alma de dor e sofrimento!

Paixão que faria a felicidade.
Dum rei; amor de sonho e de saudade, 
Que se esvai e que foge num lamento!

Florbela Espanca

(É por este, e por tantos outros, que adoro Florbela Espanca)

1 comentário:

  1. Tenho um selo para ti no meu blog
    http://saboreiaoslivros.blogspot.pt/2013/04/selo-arco-iris.html

    ResponderEliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!