domingo, 28 de abril de 2013

A minha verdade é o amor - Opinião


A Minha Verdade é o Amor

Autor: Luanne Rice
Ano: 2008
Editora: Quinta Essência
Número de páginas: 343 páginas
Classificação: 3 Estrelas
Desafio: Novos autores

Sinopse
FAMÍLIA. AMIZADE. AMOR. PAIXÃO. O milagre está prestes a realizar-se mas, tal como a maioria dos milagres, só pode surgir depois da noite mais escura e do maior desgosto de todos. A vida pode ser tão precária como um passeio numa falésia e as suas maiores recompensas só são alcançadas por aqueles que ousam arriscar tudo... por amor.
A irmã Bernadette Ignatius regressa à Irlanda na companhia de Tom Kelly em busca do passado - e do filho - que deixaram para trás há mais de 20 anos. Foi ali que aqueles dois antigos amantes passaram uma época mágica antes de o chamamento de Bernardette a ter transformado na Madre Superiora da Academia Estrela do Mar. E se foi um milagre que os afastou, um outro está prestes a uni-los.
Entretanto, algures em Dublin, um jovem, Seamus Sullivan, sonha em reunir-se com o seu primeiro e único amor. Do outro lado do Atlântico, numa mansão de Newport, essa rapariga, já adulta, trabalha como criada e aguarda com uma fé que lhe devolverá o único rapaz que amou.
A minha verdade é o amor, um livro marcante sobre os mistérios do passado, é o relato inesquecível de duas histórias e amor imortais. 

Opinião
Ao "passearmos" pelas páginas deste livro vamos descobrir que é uma história de ligações entre pessoas e da força que essas mesmas ligações têm ao ponto de unir essas mesmas pessoas ao longo de muitos anos.  É uma narrativa que se desenvolve de forma cativante que permitindo uma ligação entre o leitor e o livro. Assim, assistimos aos dilemas da Irmã Bernadette, à fidelidade de Tom e à ligação entre dois jovens que vivem num orfanato Seamus e Kathleen.

Estamos na presença de personagens principais complexas. Irmã Bernadette renunciou a um futuro familiar, deixando um filho para trás, para se entregar completamente a Deus e à direcção de um convento. Tom, o seu eterno amor, não consegue deixá-la e acompanha ao longo dos anos amando à distância e através do pouco que ela lhe pode oferecer. Acho que os dilemas que Irmã Bernadette vai vivenciando ao longo do livro são credíveis, porém acho que em algumas situações ficava um pouco desiludida com a má interpretação dos sinais que lhe iam aparecendo. Se por um lado admiro a fidelidade de Tom, por outra acho que ele foi "mole" demais. Era importante que ele fosse mais activo e tomasse uma posição mais firme em relação a várias situação. O que mais admirei em Tom foi o modo como ele conquistou o filho. Aí ele teve um papel activo e foi quase que uma forma de acordar os seus fantasmas para os demitir da alma.
Um aspecto que achei confuso no livro foi as respectivas histórias de origem destas duas personagens. Acho que Luanne Rice não criou um sequência lógica que permitisse aos leitores compreender na integra de onde eles vinham e qual a história familiar que tanta influência parecia ter nas suas personalidades e formas de estar.

Adorei a relação entre Seamus e Kathleen. Não compreendi algumas das atitudes de Kathleen enquanto criada numa casa nos Estados Unidos. Houve momentos em que pensei que ela abusada pelo seu superior, mas outras em que me pareceu aquilo funciona como um analgésico para a sua própria dor. No fundo. foi um aspecto que para  mim não ficou clarificado. Quanto a Seamus acho que teve uma atitude correcta ao longo de toda a história e admirei a sua dedicação para com o amor que sentia por Kathleen. Um amor que nasceu num orfanato, local que ambos consideravam com a sua casa, local onde afogaram os seus fantasmas de abandono experienciando a vida e a dor em conjunto.

Considero que é um bom livro. Apenas não lhe atribui uma classificação mais elevado por causa da falta de clarificação na história da origem familiar de Tom e Bernadette e por causa do final. Deduzi, mais ou menos a partir do meio, que aquilo não ia correr como eu gostaria que ocorresse... Fiquei um bocado chateada com uma determinada personagem!!!

Deixem-se invadir pelas palavras!
Boas Leituras!
Silvana

2 comentários:

  1. Olá Silvana! Cheguei nesse seu cantinho e já me posiciono no seu mosaico de amigos, com licença, viu? mas gostei demais e creio que vale a pena ler esse livro que você indicou, apesar do enredo da personagem não ter tomado o rumo desejado, rsrs. Sabe, estou participando do Concurso pena de ouro do blog Bicho do Mato e quase não tenho divulgado, gostaria de contar com seu voto, vale um voto por dia. Caso me julgue merecedora, é só clicar no lado direito da pág, em "Um soneto em Silêncio" e logo embaixo clicar em votar. http://blogdobichodomato.blogspot.com.br/2013/04/um-soneto-em-silencio.html
    Desde já agradeço, te espero no meu cantinho também e deixo meus votos de linda semana pra ti!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rose! Bem vinda :)
      Já lá fui ver o seu "Um soneto em silêncio". Parabéns, gostei muito e já lhe deixei um voto!
      Beijinhos e um boa semana!

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!