sábado, 16 de março de 2013

Por detrás da tela | Perdidamente (série)


O retrato íntimo de Florbela Espanca...
A história de uma mulher apaixonada e que apaixonou.

Florbela Espanca é um dos vultos mais importante da poesia portuguesa do século XX. A sua história pode ser contada com ou sem escândalo, ou com fascinação pelo escândalo, mas será sempre a história de uma mulher apaixonada e que apaixonou.
Reinventou o conceito de ser poeta, hoje em dia indissociável da música dos Trovante que todos sabemos de cor, "E dizê-lo a toda a gente". Esta série é o retato íntimo de Florbela: Uma vida cheua de sofrimento, mas uma poesia que se eternizou pelo seu encanto nunca longe da sensualidade.

Personagem / actor
Florbela Espanca - Dalila Carmo
Apeles - Ivo Canelas
Antónia Lobo - Soraia Chaves
Mário Lage - Albano Gerónimo
António - José Neves
Alberto - Graciano Das
João Espanca (1900) - Ian Velloza
João Espanca (1923) - António Fonseca
Mariana Inglesa - Maria João Abreu
Henriqueta (1900) - Diana Costa e Silva
Ana - Maya Booth
Júlia Alves - Anabela Teixeira

(Texto retirado daqui / imagens retiradas daqui)

Classificação: 5/5 Estrelas 

Opinião
Quem por aqui já passa à algum tempo sabe do meu gosto particular por Florbela Espanca (vida e obra).
Não tive oportunidade de ver o filme que saiu à cerca de um ano atrás, mas em Dezembro a RTP 1 presenteou-nos com esta belíssima série. Penso que seja baseada no filme. 
A série teve três episódios, cada um deles focando-se numa etapa particular da vida da autora e devo dizer que ficou fantástica. As interpretações dos actores são muito boas, destaco claramente o desempenho de Dalila Carmo como Florbela. Considero que ela captou a essência, a personalidade e a atitude perante a vida que Florbela tinha. 

Enquanto estudante da faculdade um dos meus inúmeros trabalhos consistiu na elaboração do perfil psicológico de Florbela Espanca. Na altura, em conjunto com outras colegas, li uma biografia e muita da sua obra o que me levou a ter uma visão mais minuciosa do que foi emitido na série. De facto, foi muito fiel à vida da poetisa, Dalila conseguiu passar muito bem a insatisfação de Florbela com a vida e procura constante de uma felicidade um tanto ou quanto utópica que Florbela nunca chegou a alcançar plenamente. No fundo, ela queria sempre mais da vida. Os sofrimentos foram igualmente bem retratados, nomeadamente: a morte do irmão Apeles (segundo leituras que fizemos, era apontado como a sua verdadeira paixão), os abortos constantes, as insatisfações com os casamentos. 

Na minha opinião, está é uma série portuguesa de grande qualidade e que deveria ser passada novamente. Eu iria rever com toda a certeza. 



“Precisamos começar a amar para não adoecer, e iremos adoecer se, por impedimentos, não pudermos amar.”
Sigmund Freud

(esta foi a frase que escolhemos para o início do trabalho  por acharmos que caracteriza aquilo que Florbela procurou incessantemente, sem nunca o encontrar verdadeiramente: o amor)

6 comentários:

  1. Olá Silvana,
    não conhecia este filme mas acho que vou adorar. Gosto bastante da Florbela Espanca, uma poetisa maravilhosa!
    Beijinhos e boas leituras**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu comentário é à serie da RTP. Não cheguei a ver o filme, penso que seja igual. Infelizmente a RTP, no site, não tem disponível para que as pessoas possam ver.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. http://oxe7.com/filmes/16025-florbela-pt-pt.html

    penso que consigas ver online através do oxe :D
    Beijinhos**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :) Amanhã vou experimentar! Beijinhos

      Eliminar
  3. Olá!=D

    Deve ser muito interessante, tenho que procurar!=D

    Passa lá no blog, que tens um selinho!=)

    Bjinhos e boas leituras!**

    ResponderEliminar
  4. Olá Silvana,
    tens um selo no meu blog para ti (o mesmo que o da Ghost hehe... ) :D
    Beijinhos e boas leituras**

    ResponderEliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!