sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Sangue Fresco (Sangue Fresco #1) [Opinião]


Sangue Fresco (Sangue Fresco, #1)

Autor: Charlaine Harris
Ano: 2009
Editora: Saída de Emergência
Número de páginas: 263
Classificação: 3 Estrelas
Desafio: Novos autores

Sinopse
Uma grande mudança social está a afectar toda a humanidade. Os vampiros acabaram de ser reconhecidos como cidadãos. Após a criação em laboratório, de um sangue sintético comercializável e inofensivo, eles deixaram de ter que se alimentar de sangue humano. Mas o novo direito de cidadania traz muitas outras mudanças...
Sookie Stackhouse é uma empregada de mesa numa pequena vila de Louisiana. É sossegada, tímida, e não sai muito. Não porque não seja bonita - porque é - mas acontece que Sookie tem um certo "problema": consegue ler os pensamentos dos outros. Isso não a torna uma pessoa muito sociável.

Então surge Bill: alto, moreno, bonito, a quem Sookie não consegue ouvir os pensamentos. Com bons ou mais pensamentos ele é exactamente o tipo de homem com quem ela sonha. Mas Bill tem o seu próprio problema: é um vampiro. Para além da má reputação, ele relaciona-se com os mais temidos e difamados vampiros e, tal como eles, é suspeito de todos os males que acontecem nas redondezas. Quando a sua colega é morta, Sookie percebe que a maldade veio para ficar nesta pequena terra de Louisiana.

Aos poucos, uma nova subcultura dispersa-se um pouco por todos os lados e descobre-se que o próprio sangue dos vampiros funciona nos humanos como uma das drogas mais poderosas e desejadas. Será que ao aceitar os vampiros a humanidade acabou de aceitar a sua própria extinção?

Crave os dentes na série de Charlaine Harris

Opinião
Na minha opinião, quem já leu outros livros/sagas sobre vampiros não encontra neste uma grande originalidade no que respeita às características dos vampiros e a sua relação com os humanos. É, entre muitas outras histórias, uma humana, Sookie, que se apaixona por um frígido vampiro, Bill. A forma como esta relação vai evoluindo não oferece muitas novidades criativas aos leitores e ao longo da leitura vai-se tornando um pouco previsível.  

As personagens não são muito desenvolvidas, talvez porque estamos apenas no primeiro volume da série (vou dar o benefício da dúvida). Este facto não me fez cultivar muitos sentimentos em relação às personagens. Sookie é uma rapariga esquisita. Se em algumas situações é corajosa, prática e inteligente, noutras parece um pouco alienada daquilo que se passa. Falta qualquer coisa a esta rapariga!! Bill, o vampiro, deixa um pouco a desejar. Falta-lhe personalidade e acção... Tem de intervir mais nos desenvolvimentos e estabelecer mais dinâmicas, acho que assim conquistará mais os leitores.

As personagens mais interessantes e que me despertam grande curiosidade para os volumes seguintes são: Sam e Eric... Quanto a Sam penso que irá aqui intervir num triângulo amoroso... Será??? Quanto a Eric não sei o que esperar, mas é um vampiro que me intriga. Este sim, tem carisma, personalidade e o mistério caminha em paralelo com ele. Ora aqui estão os ingredientes que me fazer roer as unhas para saber mais sobre o vampiro Eric.

Um ponto muito positivo no livro e que fez com que subisse na minha classificação foi a parte policial que vai acompanhando o desenvolvimento da narrativa. Acho que foi bem construída no sentido em que foi capaz de me criar algumas dúvidas em relação ao autores dos crimes. Fui apanhada de surpresa, não estava à espera que fosse aquela a personagem.

Considero que faltam alguns aspectos ao livro. Senti que alguns dos diálogos eram confusos e pouco desenvolvidos. Por exemplo, a forma como Sookie reagiu a uma das mortes foi um pouco redutora, faltou ali qualquer coisa. Emoção, dramatismo, esmiuçar sentimentos? Não sei... Apenas senti aquela reacção um pouco vazia de significado.

É inevitável, para mim, não fazer comparações. Neste sentido, quando comparo este livro e início desta série com a série "Academia de Vampiros" considero que esta é em termos de originalidade e qualidade ligeiramente inferior. Até ao momento a série "Academia de Vampiros" (não tenho a opiniões publicadas no blog porque foram lidos antes da sua criação) de Richelle Mead é aquela que preenche mais o meu espírito. É criativa, tem um bom ritmo e consegue deixar o leitor preso ao final de cada volume. 

Apesar deste meu baixo encantamento pela série quero muito saber o que vem por aí nos próximos volumes.

Deixem-se invadir pelas palavras e boas leituras!
Silvana


4 comentários:

  1. Uau, estou a ver que tenho mesmo que ler o "Academia de Vampiros" :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens mesmo de ler Mónica. Até ao momento li livros de quatro sagas de vampiros e a "Academia de Vampiros" foi que achei mais original e está muito bem construída.

      Eliminar
  2. Já li todos os livros da saga "sangue fresco" e gostei. Acho que a autora abusou um bocado de determinadas situações nos primeiros livros, o que tornou a leitura monótona. Mas, quando começou a introduzir o elemento policial e algum mistério, a leitura tornou-se mais interessante. O facto de também ter dotado as personagens de algum sentido de humor também ajudou. Entretém e acabei por ler todos (doze ou treze até ao momento).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou totalmente de acordo contigo Sandra quando dizes que são livros que entretém, por isso continuarei a ler os livros. Não tinha era a ideia de que eram tantos!!! :)

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!