domingo, 19 de agosto de 2012

Dei-te o Melhor de Mim - Opinião

Autor: Nicholas Sparks
Ano: 2011
Editora: Editorial Presença
Número de Páginas: 299
Classificação: 5/6

Sinopse
Este novo romance de Nicholas Sparks conta a história emocionante de Amanda e Dawson, dois adolescentes envolvidos na mágica experiência do primeiro amor.
Separados por classes sociais distintas, a paixão que sentem um pelo outro fá-los acreditar que aquele sentimento durará para sempre e terá força para superar todos os obstáculos. Vinte e cinco anos mais tarde, ambos são chamados à cidade natal, por altura da morte do único homem que os protegera. Amanda e Dawson tinham seguido caminhos diferentes. E se para ambos o amor de outrora se revela intacto, não podem evitar confrontar-se com dolorosas recordações e mais ainda com as escolhas que tinham feito perante as circunstâncias que o seu juvenil amor não pudera alterar. Que sentido dar agora a um amor que nunca poderia mudar o passado? 

Opinião
Antes de começar a escrever sobre as impressões que o livro me causou quero agradecer à pessoa que me proporcionou esta leitura!! Este livro foi um presente da LILIANA LAVADO! POR ISSO, OBRIGADA LILIANA!
Relativamente à minha opinião acerca deste livro tenho a dizer que segue aquilo a que Sparks já nos habituou... Romance, dilemas, tragédias, amor... A novidade é a violência, que aparece na sua forma mais dura, com descrições um pouco sangrentas que prendem os nossos olhos às palavras que se alinham na página. Esta veia violenta de Sparks já tinha surgido em A melodia do adeus, embora de uma forma menos sangrenta!
De uma forma geral gostei bastante do livro... Contudo sinto que faltou qualquer coisa... faltou algo que nos agarrasse mais às personagens! Já que toquei na questão das personagens, acho que faltou um bocadinho mais de garra e personalidade à Amanda. Porém, a personagem que mais gostei foi de Tuck. Com ele, aprendemos o valor do silêncio e no poder da nossa mente... Ele conseguiu sobreviver à perda do seu grande amor, Clara, acreditando na presença dela, recordando-a nos seus intermináveis silêncios.

Aquilo que, na minha opinião, faltou a esta narrativa foi: uma descrição mais pormenorizada da relação de Dawson e Amanda enquanto adolescentes... Sparks brindou-nos com poucos momentos da relação contribuindo para uma fraca ligação entre o leitor e as personagens... Outro aspecto menos positivo são os diálogos entre Amanda e Dawson após 25 anos, no momento do reencontro... Faltou calor, intensidade, amor... Estes aspectos foram um bocadinho mais salientes apenas no último dia em que estiverem juntos e isso fez sobressair uma relação um tanto ou quanto fria entre eles. Em suma, parece que falta química a estes dois.

O final é um final à Nicholas Sparks, com uma morte um pouco prevísivel... Já sabemos que com eles os finais felizes estão um pouco condicionados...

Por fim, gostaria de destacar a mensagem que vai emergindo ao longo do livro e que dá o titulo ao livro: quando gostamos de alguém procuramos dar o melhor de nós aqueles a quem nos sentimos ligados! Confesso que adoro as mensagens que estão por detrás dos livros deste autor. No fundo, são estas mensagens que, também,  nos fazem gostar tanto dos livros dele.

Boas leituras :)

6 comentários:

  1. Já estou para ler este livro há imenso tempo, mas porque não quero fazer spoiler, não vou ler a tua opinião, depois de o ler passo por aqui para ver se a opinião foi a mesma ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que assim tem mais piada!! Fico a aguardar ;)

      Eliminar
  2. Não tens nada que agradecer, foi muito merecido :)
    Eu também já li o livro (não sei se tiveste oportunidade de ver no Goodreads) e a minha opinião é em muito semelhante, em especial a dificuldade que tive em me "ligar" às personagens. A Amanda foi uma personagem muito fraca... ela deixou-se levar pela vida e não vi nada de "especial" nela. O Dawson já foi o contrário, gostei muito dele e foi ele que me levou a continuar a ler o livro.
    Bj ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      Eu já tinha visto a tua opinião... Não tive foi tempo de a comentar... Também gostei do Dawson, mas o Tuck foi uma personagem mágica...
      A Amanda faz-me lembrar algumas pessoas que culpam sempre a vida pela condição a que chegaram e nunca foram capazes de lutar pelas coisas... Vá é um bocadinho vazia...
      Este livro afasta-se um pouco daquilo que esperamos de N. Sparks.
      Beijinhos :)

      Eliminar
  3. Já acabei de ler este livro já há umas semanas mas não tive disponibilidade para vir aqui falar dele como tinha prometido (eu tardo mas chego sempre).

    Este foi o segundo livro do Nicholas que li este ano e começo a ficar preocupada... Pela segunda vez consecutiva o livro não me agradou. Das duas uma: ou o Nicholas começa a não escrever tão bem, ou sou eu que por ter lido já uns 14 livros dele (contei no outro dia) já começo a perceber como a história se vai desenrolar e por isso já não há surpresa nenhuma...

    Quando o filho da Amanda estava ainda em casa para ir buscar o pai, estava mesmo já a adivinhar um acidente de carro, errei foi na vítima, pensava eu que o marido da Amanda ia morrer e que ela pudesse ir viver com o Dawson.

    Concordo com a tua opinião, faltou qualquer coisa ali entre o Dawson e a Amanda. Mas como disseste e bem, a mensagem que o Nicholas quis passar é muito bonita. No amor ou na amizade damos sempre o melhor de nós aos outros...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Margarida!! Não tem... Eu também tenho andado "desaparecida" da blogoesfera. Gosto sempre que as pessoas acrescentem a sua opinião aos livros que vou lendo! Gosto de ver outras perspectivas.
      Eu já não lia Sparks à algum tempo... Acho que os primeiros livros que le-mos dele elevaram-nos as expetativas... Mas para que te voltes a encantar pelo Sparks que tal leres "A Melodia do Adeus"? Acho que este te vai conquistar. ;) Beijinhos e boas leitura

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!