quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Palavras Memoráveis

Recordou-se de Nana ter dito um dia que cada floco de neve era um suspiro soltado por uma mulher magoada algures no mundo. Que todos os suspiros subiam para o céu, se reuniam em nuvens e depois se desfaziam em minúsculos pedaços, caindo silenciosamente sobre as pessoas cá em baixo.
Em lembrança do que sofrem as mulheres como nós, dissera ela. De como suportamos silenciosamente tudo o que nos cai em cima.
Khaled Hosseini, Mil sóis respolandecentes

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Top 5 Wednesday | Romances

Imagem relacionada

Já há muito tempo que não fazia um TOP 5 WEDNESDAY. Muitas vezes via os temas, mas passava-me fazer o post. Outras vezes não conseguia fazer o top porque não me sentia à vontade com a categoria.
Esta semana pedem-nos para escolher o nosso TOP 5 de romances. Este é o mês do amor, por isso tem a sua lógica. Para mim vai ser difícil escolher apenas 5. Serão os primeiros que me surgirem em mente.

Amor à Primeira Vista (Kendrick/Coulter/Harrigan, #2) Orgulho e Preconceito Verão em Edenbrooke (Edenbrooke, #1) És o Meu Segredo Doces Silêncios

Tentei escolher livros em que a tónica principal fosse o romance e o amor. Haveria outros tantos para aqui nomear, estes foram assim dos primeiros que me lembrei assim que pensei em amor, relações amorosas e romance. 
Já leram algum?
E vocês, quais os vossos romances preferidos?

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]



Um novo serial killer!

Este desafio seguirá a mesma base imaginativa dos anteriores.

Depois de teres colocado questões à autora, de te teres tornado amiga dela e de a ajudares a escolher o casting para um filme, chegou agora o momento de a ajudares numa das suas próximas obras.

Ela precisa de ideias para um novo serial killer que começou a aterrorizar as pessoas. Ajuda-a a definir o perfil desse criminoso. É homem ou mulher? Ataca de dia ou de noite? Que género de vítimas escolhe? É cuidadoso ou desleixado? Que motivações poderão estar por detrás dos seus crimes? Quem será a próxima vítima?


O novo criminoso será uma mulher com cerca de 40 anos que ataca homens entre os 35-40 anos que sejam suspeitos ou acusados de violência doméstica.
Não tem hora certa para atacar. A hora é aquela que lhe é mais favorável. Ela conquista as vítimas, usa truques de sedução e ataca-os quando eles menos esperam e sem lhes dar tempo para reagirem. No fim, corta-lhes o pénis e deixa o resto do corpo intacto.
Ela é cuidadosa e meticulosa. Todos os crimes são muito planeados e estruturados. Tem sede de vingança. Quer vingar todas as mulheres que sofrem ou sofreram agressões físicas, emocionais e psicológicas às mãos de um homem. Em cada homem que mata vê o rosto do pai e do marido, ambos homens violentos e que já não estão neste mundo. Desapareceram sem deixar qualquer rasto. Será que é esta a mulher que está por detrás destes desaparecimentos? Será que foram estes desaparecimentos que motivaram esta necessidade de atacar estes homens? São aspetos que a autora terá de desenvolver de acordo com aquilo que a sua imaginação ditar. 



sábado, 17 de fevereiro de 2018

Por detrás da tela | "O Pianista" (2002)

Resultado de imagem para O pianista
Classificação: 10 Estrelas

Já há muito tempo que queria ver este filme. Eram vários os motivos que alimentavam a minha curiosidade: 1) É um filme em que a ação decorre durante a 2ª Guerra Mundial; 2) Muitas pessoas mo recomendavam; e 3) Tinha um pianista (admiro pianistas).

Muitos pensarão, é mais um filme sobre judeus massacrados pelos alemães e em que pudemos ver a sua vida miserável em campos de concentração. Mas pensarão errado. Este filme vai mais longe e mostra-nos outras formas de sofrimento. Sim, assistimos à miséria, ao comportamento bárbaro de soldados para com seres humanos como eles e ao desespero de quem não tem justificações para tanta crueldade. Para além destes aspetos, este filme traz-nos outra perspetiva. A perspetiva da bondade. Afina, no meio de tanto cinzento, existem pequenos rasgos de luz que resistem à crueldade e acabam por iluminar o caminho dos que sofrem. 

Este filme ofereceu-me uma nova visão da vida nos guetos. Um filme que é uma verdadeira lição de vida na luta pela sobrevivência e em como podemos ajudar. 

O filme é pautado por interpretações soberbas, claro que com um grande destaque para o ator Adrien Brody que interpretou de forma magnífica o papel de pianista. Todas estas interpretações ganham ainda uma maior dimensão pois são acompanhadas por uma banda sonora cheia de bom gosto.

Este é daqueles filmes para rever. Um filme que nos deve acompanhar ao longo da vida e para ser mostrado a gerações mais novas. O poder doentio que marcou o flagelo da 2ª Guerra Mundial e as atrocidades que foram cometidas não podem ser esquecidas. Devemos aprender com a história e com os erros cometidos. Este género de filmes é super importante para não esquecermos esses erros.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Opinião | "Caçadores de Cabeças" de Jo Nesbø

Caçadores de Cabeças
Classificação: 3 estrelas

Caçadores de cabeças marca a minha estreia com este autor norueguês. Geralmente, e da minha pequena experiência literária, os nórdicos têm uma aptidão especial para criarem livros de mistério/crime muito cativantes e que nos deixam agarrados às páginas. Portanto, estava com grande curiosidade em conhecer este livro. 

A forma com este livro inicia não é muito cativante. As situações, a vida das personagens e as suas relações parecem arrastar-se pelas páginas não me proporcionando momentos que me permitissem aproximar delas. Achei que a escrita era pouco emotiva, não passava emoções sentimentos. Porém penso que a justificação para esta característica prende-se com o facto de estamos perante um livro cheio de raciocínio lógico sem grande espaço para as emoções.

Foi uma leitura cheia de altos e baixos. Houve momentos muito interessantes, outros que me deixaram verdadeiramente repugnada e outros que me foram indiferentes. Mas assim que cheguei ao final, fiquei de boca aberta. A forma descarada e inesperada com que o autor nos consegue enganar e de deixar qualquer leitor sem palavras. 
Algumas passagens do final tive de ler duas vezes, e cheguei a voltar atrás no livro para ver se me tinha escapado alguma coisa. Eu estava completamente rendida àquele final e à forma como tudo se encaixou e desencaixou. 
É um livro que vale muito pelo final surpreendente que o autor nos apresenta. Apesar de sentirmos que há coisas no livro que não nos cativam ou que parecem pouco interessantes, o autor consegue elevar-se ao criar um final inteligente, lógico e inesperado.

Para este final em muito contribuiu a inteligência de Roger, um homem inteligente e que trilhou um caminho de forma surpreendente. 
Quem estiver com ideias de ler este livro, deve fazê-lo sem qualquer reservas. E se ao longo da leitura sentir que algo não seja cativante, a ordem é para que não se desista, porque o final irá, sem dúvida surpreender todos os leitores.


Palavras Memoráveis

Aprende já isto e aprende bem, minha filha: assim como a agulha de uma bússola aponta para o Norte, também o dedo acusador de um homem encontra sempre uma mulher. Sempre.
Khaled Hosseini, Mil sóis resplandecentes 



terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Opinião | "O encontro" de Vergílio Ferreira

Contos
Conto: O encontro
Classificação: 3 Estrelas

O encontro veio até mim através de uma miúda do 9º ano, a J., que precisava de ler o conto e de escrever o seu resumo. Para que eu a pudesse ajudar tinha de ler o conto. Surgiu aqui uma excelente oportunidade de ler alguma coisa de um autor que li no secundário e fiquei a gostar.

Estava a ler o conto ao mesmo tempo que a J. e ia sentindo algumas das suas dificuldades. Numa escrita difícil e uma narrativa onde há muitos "buracos" no que respeita à contextualização das personagens e da ação foi difícil motivá-la para a leitura (tinha sido obrigada pela professora de português). Enquanto líamos, ia contextualizando-a e vendo o que é que ela estava a perceber. 

Como o conto é pouco desenvolvido deixa muito espaço à nossa imaginação. Temos como personagem principal um engenheiro que deixa a grande cidade, Lisboa, para se estabelecer numa pequena aldeia do interior. O seu comportamento não é do agrado da população e geram-se ali algumas inimizades. 

À medida que avançava na leitura ia conseguindo contextualizar-me em alguns aspetos, mas outros são produto da minha dedução tendo em conta os acontecimentos. 

Apesar de um início de leitura complicado e confuso, eu gostei de ler este conto, particularmente da forma como terminou. Foi um final que apanhou de surpresa, mas que fez sentido tendo em conta a carga dramática que o autor parece querer dar ao seu texto.